Saúde bucal: saiba como e quando começar a escovar os dentes das crianças

Ana Paula Cardoso
A higiene bucal das crianças deve começar antes mesmo de nascerem os primeiros dentinhos. Confira a orientação de especialistas em odontopediatria

A escovação infantil começa cedo.


Uma dúvida recorrente de pais e mães é sobre quando se deve começar a escovar os dentes dos filhos. Na verdade, nem é preciso esperar nascerem os dentes para começar a higiene bucal de uma criança. Especialistas recomendam que os cuidados com a higiene bucal devem iniciar a partir do nascimento do bebê e continuar até o momentos em que os pequenos passarão a fazer toda a higiene dos dentes sozinhos, em torno dos 10 anos.
 
“Já nos recém-nascidos, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite na boca”, recomenda Adriana Barreiros, especialista em odontopediatria.  Principalmente se o bebê faz uso de aleitamento artificial, complementado com farinhas. Quando o bebê é alimentado exclusivamente com o leite materno, pode-se iniciar a higiene bucal a partir da erupção do primeiro dente de leite (decíduo).
 
“A higiene pode ser feita na hora do banho, não necessariamente após as refeições. O importante é  remover o biofilme (a placa bacteriana) duas vezes ao dia. Pode ser utilizado, a princípio, uma dedeira de borracha”, ensina a especialista em odontopediatria, Isabel Cabral.
 
Em seu consultório, Isabel costuma reforçar aos pais que a higiene da boca está diretamente ligada à alimentação. Na fase em que aparecem os dentinhos, em geral, é quando a nutrição do bebê muda para papinhas, sopinhas e frutas. Nesta momento, a limpeza passa a ser primordial.
 
A escova infantil, pequena e com cerdas macias,  pode começar a ser utilizada a partir do momento que os molares aparecem  “As cerdas precisam entrar nos sulcos dos molares”, recomenda a dentista Isabel Cabral.
 
Quando iniciar o uso da pasta de dente e do fio dental é outra dúvida comum entre os pais. O creme dental fluoretado só deverá ser utilizado a partir dos dois ou três anos de idade, quando a criança souber cuspir completamente o seu excesso. Antes disso, pode-se utilizar a escova sem pasta, ou com uma pasta de dente sem flúor.
 
“A partir dos quatro ano, pode-se usar a quantidade de pasta do tamanho de uma ervilha . Sempre com a supervisão dos responsáveis. O creme dental deve ficar sempre fora do alcance da criança e é preciso ensinar as crianças a cuspir”, orienta a dentista Isabel.
 
Em relação ao fio dental, em geral entre os dois e seis anos, ainda na dentição decídua (dentes de leite), os pais já devem iniciar as crianças no hábito do uso diário do fio dental. “Os responsáveis podem ajudá-las a aprender como usar o fio dental, à medida em que as crianças desenvolvem a destreza com as mãos. A idade em que começam a desenvolver a capacidade de usar fio dental por si mesmas é ao redor dos 10 anos de idade”, explica a odontopediatra Adriana Barreiros.

Adultos podem transmitir cáries

Algumas dicas são preciosas para garantir uma dentição perfeita em crianças, que as ajudarão a tornarem-se adultos de sorrisos bonitos. Os pais devem dar o exemplo, com alimentação e higiene para garantir dentes saudáveis a seus filhos.
 
A começar, quanto mais tarde a introdução de guloseimas, como comidas açucaradas e refrigerantes, na alimentação, melhor. “A prevenção é tudo. Dificilmente será possível uma criança ficar sem contato com o açúcar, mas é preciso fazer uso de modo inteligente. A cárie é um doença de modo de vida, logo muita coisa pode ser mudada desde cedo”, diz a dentista Isabel Cabral.
 
A ingestão de líquidos açucarados na mamadeira, principalmente durante a noite, sem que seja feita a higiene bucal posterior, é um erro comum. Os pais também nunca devem soprar a comida dos bebês e muito menos devem compartilhar comidas já provadas por um adulto ou talheres utilizados por eles.

A cárie é uma doença bacteriana transmissível. O streptococcus mutans (bactéria responsável pelas cáries) mora na boca dos adultos e, geralmente, são os pais quem introduzem essas bactérias na flora bucal de seus filhos”, alerta dentista Adriana Barreiros.

Combate aos açúcares e cautela com chupeta

Não oferecer ou acostumar os filhos com balas, chicletes ou pirulitos é um dos mais melhores cuidados que os pais podem ter. A presença de açúcar no ambiente bucal por um período prolongado favorece as bactérias, que se alimentam da dentina e produzem os ácidos que corroem os dentes.

Alimentar os filhos com uma dieta pobre em açúcar e fazer a aplicação de flúor no consultório dentário com regularidade são ótimos meios de prevenção contra as cáries.

A primeira visita ao odontopediatra pode ser antes do primeiro dentinho, mas o próprio pediatra pode orientar sobre as necessidades de higiene bucal nos primeiros meses de vida.
 
Fora as cáries, os problemas de má oclusão também podem ser prevenidos com algumas mudanças de hábitos. A chupeta e o dedo na boca devem ser evitados ou ao menos serem interrompidos o quanto mais cedo possível.
 
Esses hábitos acalmam as crianças, mas também são responsáveis por futuros problemas de dentição torta ou defeituosa, que acabam por levar ao uso de aparelhos dentários.
 
Copyright foto: iStock

   

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto