Desmame: dicas práticas para o bebê deixar o leite materno

Ana Paula Cardoso

Saiba quais são as principais orientações aos pais na etapa importante do desenvolvimento infantil

Desmame: é preciso ir aos poucos para apresentar novos alimentos ao bebê.


A amamentação é o primeiro contato do bebê com a alimentação fora do útero. Momento não só de nutrição, mas também de aconchego emocional dos pequenos, pode virar um problema quando chega a hora do desmame. Muitas crianças, mas também os pais, acabam sofrendo.

O desmame, portanto, é a fase em que o bebê deixa de depender do leite materno por estar fisiologicamente preparado para ingerir novos alimentos. Em geral acontece a partir dos seis meses de vida quando, sob orientação do pediatra, será a hora de entrar com papinhas, frutas e sucos.

O momento da diversificação alimentar costuma ser delicado. Deixando o leite materno de ser a única fonte de nutrição, é normal uma ruptura no elo entre mãe e bebê.

“Por conceito, o desmame é a fase em que a mãe e o filho podem distanciar-se no momento da alimentação e sobrevivência. É quando esse papel pode ser desempenhado também por outras pessoas”, explica a psicóloga Viviane Rossi, especialista em criança e adolescente.

Como se dá o desmame? 

Segundo a especialista, cada caso é um caso. Em algumas situações, as mães são mais dependentes da amamentação do que os próprios filhos e sentem muita dificuldade em encerrar essa fase. Seja por uma insegurança, um medo do afeto do filho por ela ser diminuído, ou apreensão em colocar um limite.

“Mas há também crianças que acabam mantendo a amamentação como um momento de atenção exclusiva e posse da mãe. Já outros bebês simplesmente param de mamar por conta própria”, conta Viviane.

Mas quando é a mãe que toma a decisão do desmame, ela deve estar segura disso. Demonstrar essa segurança para o filho e ser bastante firme em sua postura fará toda a diferença para não criar a dependência do bebê com o aleitamento materno. 

5 Dicas para realizar o desmame

Veja a seguir algumas dicas práticas para realizar o desmame sem traumas:

1) Comece aos poucos. O processo deve ser gradual. Aos poucos, a mãe deve ir dando maiores intervalos entre uma mamada e outra de maneira que o filho dependa menos do leite e seu fluxo de produção também diminua. Desta forma ela evita dores por excesso de leite nas mamas;

2) Planeje a hora de começar. É recomendável que a mãe tome a decisão do desmame com antecedência e vá incluindo, gradualmente, outras fontes de nutrição para a criança, diferentes do leite;

3) Envolva outros membros da família. Alguns adultos importantes, como o pai, tios ou avós podem auxiliar oferecendo a mamadeira com leite para a criança no lugar da mãe. Isso ajuda ao bebê deixar de associar a mãe à segurança alimentar;

4) Varie os alimentos. Experimentando novos sabores e novas texturas, a criança vai reconhecendo suas preferências e desenvolvendo seu paladar. E o bebê ainda vai utilizar seus próprios dentinhos para auxiliar na ingestão;

5) Deixe a criança se familiarizar com a  comida. Os adultos também podem apresentar um copo com bico, os talheres como colherzinha e também pratinhos, ou até uma mamadeira.  A criança passa a colocar ela mesma as comidas e bebidas que vai experimentar. “Assim, devagarinho, ela vai se acostumando a ficar sem mamar no peito da mãe”, afirma a psicóloga.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto