Umbigo do recém-nascido: veja cuidados e dicas para evitar problemas

Etiene Resende

Importante em toda a gestação, após o nascimento o umbigo pode se tornar a porta de entrada de vírus e bactérias se não houver cuidados especiais

umbigo do recem-nascido
Um bigo do recém-nascido requer cuidados como prcurar um médico em caso de secreção.


Os primeiros dias de vida do bebê exigem atenção em vários aspectos, entre os principais está o umbigo do recém-nascido, cujo cuidado ainda gera muitas dúvidas para os pais. Foi pensando nisso que pedimos à pediatra Cleonir de Moraes Lui Beck para falar sobre este tema, dando dicas sobre como cuidar desta área tão sensível do corpinho do bebê.

Para começar, a especialista explica que o cordão umbilical é cortado ao nascimento e o que resta no abdome do bebê é chamado de coto umbilical. “Este coto irá secar e cair após alguns dias ou semanas", orienta a Dra. Cleonir.

Mas antes disso, é preciso muita atenção ao umbigo do recém-nascido. "Nos primeiros dias de vida, quando ainda não secou, ele funciona como uma lesão ou um corte aberto, e está exposto ao meio ambiente e suas bactérias e vírus”, destaca a médica.

Cuidados com o umbigo do recém-nascido

De acordo com a pediatra, assim como nos casos de outras lesões na pele, o cuidado básico com o umbigo do recém-nascido deve ser: mantê-lo sempre seco e limpo. Para fazer a limpeza, nada de muito complicado.

“Existem recomendações diversas em diferentes países. No Brasil, a maioria das maternidades orienta a limpeza com álcool 70%. Mas é unânime que a região deve ficar exposta, para se manter seca”, ressalta.

Deste modo, é preciso ter atenção na hora de vestir o bebê. “Deve-se ter cuidado com a fralda, para que ela não cubra o coto umbilical, evitando assim que o umbigo do recém-nascido venha a se molhar com a urina”, alerta a médica.

A especialista lembra ainda a qualquer contato do umbigo do recém-nascido com fezes ou urina a limpeza deve ser feita novamente. O coto umbilical , no geral, costuma secar totalmente e cair por volta de 10 dias após o nascimento. E o tempo máximo dese processo é de 8 semanas.

“Caso demorar mais do que isso, o pediatra deve ser informado, pois pode ser sinal de alguma doença referente à cicatrização e imunidade”, orienta a Dra. Cleonir.

Riscos para o bebê

Como lembra a médica, o bebê recém-nascido tem ainda a imunidade imatura e não tem condições de se defender das bactérias ou vírus mais comuns. "Por isso, uma infecção iniciada no coto umbilical pode se espalhar pela corrente sanguínea, provocando uma doença generalizada e grave”, alerta a pediatra.

Nos casos em que surgir alguma mudança no umbigo do recém-nascido os pais devem procurar o pediatra imediatamente, como forma de evitar o desenvolvimento de um problema mais grave.

Secreção no umbigo do recém-nascido

Existem casos específicos em que a busca por um especialista se faz necessária. “O pediatra deve ser procurado, o mais breve possível, se houver saída de secreção amarelo-esverdeada, com mau cheiro ou se houver vermelhidão da pele ao redor do umbigo, bem como se o bebê se mostrar muito incomodado durante sua limpeza, ou com febre”, explica a médica.

A médica reforça que a secreção no umbigo do recém-nascido pode se tornar grave, caso não seja tratada adequadamente e a tempo. A Dra. Cleonir enfatiza, no entanto, que apesar de trazer certa preocupação para os pais, algumas situações são normais e exigem apenas maior atenção.

“Após a queda do coto, é normal que ainda saia uma pequena quantidade de sangue, geralmente encontrado seco em volta do umbigo do recém-nascido. Esse sangue deve ser bem limpo, até que seque totalmente”, explica.

A pediatra destaca ainda que pode haver também uma cicatrização incompleta, sobrando na região um tecido avermelhado e úmido. Isso caracteriza o granuloma umbilical.

"Se não houver cheiro ruim e a pele ao redor não estiver avermelhada, pode-se aguardar, pois em geral isso se resolve em uma semana. Se demorar mais, o pediatra deve ser avisado, e pode ser preciso cauterizar a ferida”, ressalta.

Hérnia umbilical no recém-nascido

Por fim, outra manifestação que pode ocorrer é a chamada hérnia umbilical. Trata-se de uma saliência na área do umbigo do recém nascido, visível principalmente no momento em que o bebê estiver chorando.

“Isso ocorre por haver uma pequena abertura na parte muscular da parede do abdome, que, aos poucos, vai se fechando. Geralmente se resolve espontaneamente até um ou dois anos de idade”, ressalta.

Em casos raros a hérnia umbilical pode trazer algum incômodo para o bebê. “Se não se resolver até os 24 meses de vida, pode ser necessária uma pequena cirurgia, porém sem urgência”, explica a pediatra.

Cleonir de Moraes lembra ainda que nunca se deve tentar tapar esta área da hérnia umbilical. “O uso de moedas para isso, por exemplo, é contraindicado e pode ser até prejudicial”, reforça, afirmando que somente um especialista está apto a tratar o bebê nestes casos.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto