Aprenda como fazer o bebê arrotar

Daniel Navas

É importante que os pais façam bebê arrotar até ele completar 6 meses de vida

Saiba a importância da prática e aprenda a fazer sue bebê arrotar.© iStockphoto.com/fizkes


Durante o choro, ou na hora de mamar, é normal que o pequeno engula um pouco de ar, que penetra no tubo digestivo. Esse problema traz dor, cólicas, desconforto, distensão abdominal e falsa impressão de saciedade na criança. Daí a importância de fazer o bebê arrotar após as mamadas. O gesto é simples e trará alívio ao pequeno. 

“O modo mais comum de arrotar é segurar o bebê de frente para você e dar leves tapinhas nas costas. Uma outra maneira é colocar o pequeno no colo um pouco mais para cima, com a região do estômago a apoiada sobre o seu ombro e dar tapinhas nas costas”, ensina Carlo Crivellaro, pediatra com título de especialista em pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria. 

Os pais irão perceber, com o tempo, qual é a posição mais confortável para o bebê. Em relação à duração, o pediatra ensina que dez minutos de tentativa são suficientes.  

É normal o bebê regurgitar ao arrotar?

Às vezes, junto com o arroto, o bebê pode ter regurgitação que, geralmente, é em pequena quantidade. “Mas, se esse retorno do leite ocorrer em grande volume e na maior parte das mamadas, o pediatra deve ser alertado para investigar outras causas”, alerta Patrícia Rezende Pereira Mannarino, pediatra do Prontobaby - Hospital da Criança, no Rio de Janeiro.

E é bom saber que o bebê deve sempre ficar na posição vertical para arrotar. Isso facilita a subida do ar e dificulta a subida do leite, pela gravidade. “Além disso, é importante não deitar a criança logo após a mamada. Para isso, aguarde, no mínimo, 5 minutos, e lembre-se que a frequência de arrotos varia de criança para criança”, explica Valéria Arriaga, pediatra da Master Klinic, em São Paulo.

O ato de fazer o bebê arrotar deve seguir ao longo dos seis primeiros meses de vida, já que é o período em que a criança se alimenta exclusivamente de leite materno.

“Sem esquecer que devido à consistência líquida e a imaturidade do esfíncter esofagiano do pequeno, é possível ter refluxo em maior quantidade”, finaliza Patrícia.  

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto