O sono do bebê: como agir?

  • Saiba tudo o que é preciso saber para que seu bebê tenha um sono tranquilo!

    A principal atividade do seu bebê ao longo dos primeiros meses de vida se resume a uma só: dormir. O sono é uma fase extremamente importante para o recém-nascido. 

    É dormindo que o bebé memoriza as informações que recebe.

    Ao dormir, além de descansar, ele memoriza as informações acumuladas durante o dia. Porém não é sempre fácil impor um ritmo ao seu bebê... Quais cuidados adotar para que ele tenha uma boa noite de sono? Quais os segredos para que adormeça rapidamente? Quais são as especificidades do sono dele e como torná-lo agradável e tranquilo? Veja aqui as respostas a essas perguntas e muito mais!

    Copyright foto: Istock
  • A organização do sono do recém-nascido

    Os recém-nascidos dormem até 20 horas por dia.

    Durante as primeiras semanas de vida, o bebê dorme até 20 horas por dia. Podemos dizer que nesta fase, a qualidade do sono dele equivale à sua qualidade de vida! Mas também à qualidade do crescimento dele. De fato, é no seu berço que o recém-nascido organiza os circuitos nervosos, memoriza as informações que recebe e cresce tranquilamente.

    O bebê dorme de 3 a 4 horas por período. Quando ele acorda, ele não consegue entrar no ciclo seguinte sozinho. Em outras palavras, você deve ajudá-lo a adormecer entre uma e três vezes por noite, pelo menos até o seu quarto mês, quando ele vai “capotar” a noite inteira como os adultos.

    Um pequeno conselho: não acenda a luz (só um abajur) e converse bem devagar com ele. Você é quem vai decidir se prefere acorrer ao menor balbuciar para evitar uma crise ou se vai deixá-lo esperando cada vez mais, quando chorar, para que ele se torne menos exigente, ou durma de novo sozinho. Enfim, não se preocupe se ele se mostrar às vezes agitado. Durante os seis primeiros meses, ele atravessa primeiro uma fase de sono paradoxal (ele gesticula, resmunga, boceja, respira forte...) antes de cair completamente no sono mais profundo.

    Cuidado, existem dois tipos de dorminhocos: uns dormem mais, outros menos. Você não deve se preocupar, portanto, se ele cochila sem parar ou se agita na maior parte das vezes.

    Copyright foto: iStock

  • 4 conselhos para uma noite tranquila

    É importante para o seu bebê que você estabeleça uma rotina: horários para se deitar e acordar, uma história ou uma cantiga antes de ninar, etc.

    Conforto cinco estrelas
    Depois de uma refeição farta e digestiva, instale o bebê num quarto calmo e totalmente escuro, mas parcialmente claro para uma sesta (isso vai ajudá-lo a diferenciar o dia da noite). Por que não no seu quarto, num primeiro momento?

    Um cantinho aconchegante
    Pouco importa o tipo de cama (moisés, berço, cama com grade), escolha um colchão firme, com boas dimensões, que será recoberto com um protetor e um lençol e cubra o alto da cama com uma fralda em tecido quadrada. Coloque o bebê no seu porta-bebê ou saco de dormir. Travesseiros, cobertores em lã e lençóis são muito perigosos para a segurança dele. Enquanto ele não souber virar sozinho, opte pela posição de costas, que diminui o risco de morte súbita do recém-nascido. 

    Referenciais tranquilizadores
    Estabeleça horários para deitar e para levantar, crie rituais para fazê-lo dormir (banho, ninar, carinhos, mamadeira de água com uma leve infusão de tília ou de flor de laranjeira). 

    Respeite o ritmo dele
    Não o acorde para comer, não o force a dormir se está transbordando de energia e, claro, nunca use soníferos e tranquilizantes. 

    O que escondem as lágrimas?
    Vários motivos legítimos podem levá-lo a gritar por socorro. A fome (seu pequeno estômago contém poucas reservas), a sede, o calor, mas também o barulho ou uma dor qualquer (refluxo gástrico, otite, assadura nas nádegas, nariz entupido, crescimento dos dentes...). Se nenhum destes motivos existe de fato, é que o bebê está precisando da segurança do seu afeto. Enfim, se nada resolve, consulte um pediatra, pois o cansaço de todos em volta só faz agravar a situação, cada vez mais.

    Copyright foto: Istock
  • Os segredos de mãe para fazer o bebê dormir

    Cantiga, história, massagem: cada mãe tem uma maneira de fazer seu bebê dormir.

    Embora não exista nenhuma solução mágica para fazer com que o bebê caia no sono, todos os pais têm o seu “truque”. Rituais, massagens, canções... Eis um apanhado dos conselhos, tão diversificado quanto instrutivo.

    O ritual
    São muitas leitoras que acreditam ser importante instaurar um ritual na hora de deitar. Com sua filhinha Sasha, de 10 meses, Emília, por exemplo, repete a mesma coisa todas as noites: sobem as escadas cantando a mesma canção, um beijinho, a chupeta e uma sucessão de carinhos. “Minha filha gosta de dormir com os meus cabelos, por isso espero cerca de 10 minutos antes de sair”, explica. 
    O caso é o mesmo para Maria que, depois da refeição da noite, dá ao seu filho um banho e lhe faz uma massagem para, por fim, lembrá-lo que papai e mamãe “estão pertinho dele”. Confrontada com o seu filhote que não conseguia fazer a sesta, Virgínia encontrou uma solução: ela deita perto dele, lhe pega a mão e “conversa sobre uma coisa e outra. Primeiro, em voz alta, depois murmurando, os olhos fechados, até ele adormecer”. 

    A propósito, é melhor fazer o bebê dormir na cama dos pais ou na dele? As opiniões divergem. Célia deixa seu filho de dois anos e meio adormecer “na nossa cama depois da última mamada”. Na opinião dela, é uma solução “radical”. Quanto a Maria, ela desaconselha. De fato, isso pode acabar virando um péssimo hábito! 

    Zen e carinho
    Para Fabiana, o segredo consiste em “estar tranquila e zen, seja o que for que aconteceu durante o dia; se o bebê sentir que você está nervosa ou com pressa, não vai funcionar!” Para que a filha adormeça, ela a nina nos braços, caminhando lentamente e num ritmo regular. Janaína está na mesma onda e antes mesmo da hora de deitar, ela se lembra de “abaixar o som da televisão, logo depois da mamadeira, e apagar a luz”. Maria acrescenta que é importante que a refeição da noite seja “relaxada, sem gritos nem precipitação”. Uma vez que a filha está deitada, Fabiana lembra que ela deixa sempre “uma luz no corredor e a porta aberta. Com isso, o quarto ficava levemente iluminado e ela podia ouvir os barulhos da casa”. Para dormir bem, um bebê deve, portanto, se sentir seguro! 

    Outra palavra de ordem para um sono sem atropelos: a ternura! Carinhos e massagens são bons meios de acalmar os pequenos. Mãe de três meninas, Sofia aconselha “acariciar a parte de cima do rosto (sobrancelhas e pálpebras) para treiná-los a fechar os olhos”. Cristina se tornou mais expert ainda: “Pratico a digitopuntura, toco-o para que saiba que estou presente e lhe faço massagens nas costas”. 

    Mas... e em caso contrário?
    Se ninar nos braços da mamãe continua sem efeito para o seu filhote, há ainda alguns jeitinhos, como o testado pela Sandra: “Como o passeio de carro não é muito econômico (nem ecológico), achei uma alternativa: as vibrações do carrinho de bebê passando sobre  a cerâmica da sala!” Como derradeira alternativa, algumas mulheres, como a Laura, escolhem as últimas novidades high-tech dos profissionais da puericultura: “Tenho uma cama que vibra, com canções integradas. É fantástico. Com isso, não tenho mais problemas!” Ah... se fosse realmente tão simples!

    Copyright foto: Istock
  • O sono do bebê: os conselhos do pediatra 

    Confira os conselhos dos especialistas para que seu bebê tenha uma boa noite de sono.

    A posição do bebê, os rituais para dormir, as regras a serem respeitadas... Os pediatras dão conselhos às mães para ajudá-las a fazer o bebê adormecer serenamente!

    Como acontece o sono no bebê?
    O bebê dorme muito! Ele dome cerca de 22h por dia. Ele só acorda quando está com fome e dorme novamente no meio da mamada. Com 3 a 6 meses, o ciclo se organiza em torno do leite: ele chora antes e não dorme imediatamente depois do aleitamento.

    O que quer dizer “dormir a noite toda”?
    Esta é uma questão e tanto! Para alguns, é com 3 meses; para outros, é quando eles chegam aos 5 kg... Na verdade, “dormir a noite toda” é ter uma quantidade de sono suficiente para que o bebê durma mais tempo à noite que de dia. Isso se aprende aos poucos e podemos considerar que quando o seu filho dorme 6h seguidas, ele “dormiu a noite toda”. Cuidado, não existem verdades absolutas: algumas crianças dormem a noite toda com 2 meses.

    Quais são as regras que devem ser respeitadas?
    Deite sempre o bebê  de costas para prevenir o risco de morte súbita. Se possível, em “aclive”, isto é, com a cabeça levemente levantada em relação aos pés. Para isso, incline o colchão (colocando travesseiros por debaixo, por exemplo).
    Se o seu filho regurgita muito ou se o crânio dele está um pouco achatado na parte de trás da cabeça, você pode posicioná-lo levemente para o lado, graças a uma toalha ou um calço para bebê. Cuidado, não o incline muito, pois há o grande risco de ele virar de barriga para baixo e ele não será capaz de voltar sozinho.

    Como acostumá-lo à sua caminha?
    No começo, seu filho adormece nos seus braços, durante a mamada, porque você o nina. Aos poucos, com seus 2-3 meses, você terá de fazer com que ele durma na própria cama, e que goste dela. A cama dele deve ser um ninho. Assim que ele adormecer nos seus braços, coloque-o na cama dele enquanto está um pouco acordado. Fique do lado dele até que adormeça completamente. 

    O que fazer se ele chorar na cama?
    Você pode colocar uma música suave um pouco antes, cantar uma canção para ele ou até mesmo lhe fazer massagem, se você gostar disso.
    Ou então, se ele estiver limpo e alimentado, você pode tomá-lo nos braços e niná-lo, mas sempre ficando do lado da cama! Você também pode deixá-lo na cama dele, dando-lhe a mão para tranquilizá-lo. Se não fizer isso, vai enfrentar na certa os traumas do sono.

    Quais são os traumas do sono que podem se produzir?
    Os traumas do sono se devem a um erro fatal desde o início. Uma vez criados, é preciso refazer o processo todo! Acaba sendo um pouco complicado.
    Não raro, pode acontecer de a criança acabar dormindo sozinha, mas ao cabo de 15 minutos, ela acorda e se acalma no colo. Depois, assim que volta para a cama, chora. Aí então, ela é novamente acalmada, e volta para a cama. Se ela chorar de novo....deixe-a chorando! É um pouco difícil, mas é preciso dizer que, em caso contrário, a gente acaba escravo. Não se tem mais noite, vida de casal, momentos para si.

    Copyright foto; Istock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto