O que fazer quando surgem os primeiros cabelos brancos?

Ana Paula Cardoso
Desde pintar até assumir os fios brancos, o importante é tratar os cabelos e se adaptar ao novo visual

Cabelos brancos: manter ou pintar, eis a questão.


Não tem jeito. Os padrões estéticos relacionados à jovialidade acabam ditando certas tendências e transformam momentos naturais da vida em algo assustador, que mexe com a autoestima. É o caso do aparecimento dos primeiros cabelos brancos. 

A maioria das mulheres sai arrancando os primeiros fios, já outras correm para o salão a fim e cobrirem os fios sem pigmentação com tinta. Mas de acordo com especialistas em cabelos e visagistas, o importante é a mulher ter em mente que há várias saídas para não 'brigar' com os cabelos brancos

Desde técnicas de coloração até assumir os novos fios, o importante é estar de bem com o visual. "Há mulheres que começam a ter cabelos brancos muito cedo, ainda ma faixa dos 20 anos. Nesses casos, costumo dar a opção de chegar a uma cor o mais próximo da natural, luzes, mechas naturais ou, dependendo do tom da pele, umas mechas em tons mais claros caem muito bem", conta Marli Soares, cabeleireira e dona de salão no Rio de Janeiro.

As ideias para lidar com os fios brancos

Na verdade, é muito raro uma mulher assumir de cara os cabelos brancos. “Em geral a primeira medida que elas querem tomar é esconder”, conta a cabeleireira Marli Soares. Para mudar o aspecto dos cabelos e cobrir os fios brancos, existem desde de tonalizantes, que podem inclusive ser usados em casa, até colorações mais sofisticadas que devem ser feitas por especialistas

Outro aspecto importante: independente de assumir ou pintar os cabelos brancos, a fase exige mais cuidados e tratamentos para manter os fios saudáveis. Portanto, hidratação e cauterização capilares devem entrar na agenda de cuidados. O aparecimento dos fios brancos também pode ser, na opinião de especialistas, o incentivo que faltava para a mudança do visual. 

"Tenho uma cliente que tinha os cabelos muito negros e pele muito branca. Estava difícil manter a cor natural e propus o louro. Ele hesitou muito, mas após três meses resolveu fazer o teste. As pessoas que a conheceram depois não conseguem imaginá-la morena", conta a cabeleireira.

Assumindo os brancos

Ana Lúcia Leitão deixou os cabelos brancos desde os 36 anos.


A publicitária Ana Lúcia começou a  ter cabelos brancos quando estava na faixa dos 30 anos e não quis pintá-los. "Acho legal ajudar a quebrar o mito de que o cabelo branco envelhece. Me diziam, na época, que parecia que eu tinha feito luzes", conta a publicitária, hoje com 49 anos. A pressão era forte, inclusive da família, para pintar o cabelo.

"As pessoas comentavam que eu parecia mais nova com o cabelo pintado. A minha questão é que eu não quero parecer mais nova do que sou, quero parecer a idade que  tenho", reforça Ana Lúcia. 

Apesar de encarar de forma natural o fato de deixar os cabelos brancos, a publicitária diz que ainda sente um certo preconceito e estranhamento, mesmo no Rio de Janeiro, cidade conhecida como mais ‘moderninha’ em relação aos costumes.

Em geral também os visagistas recomendam cortes curtos e visuais modernos para quem assume os cabelos brancos.  Mas o estilo da psicóloga, socióloga e escritora Cynthia Dorneles prova o contrário. Ela tem cabelos longos e ondulados.

Cynthia Dorneles: cabelos brancos, longos e bonitos.


“Pinto a ponta do meu cabelo de azul e púrpura, mas aí é de onda. É um alívio só ir ao cabeleireiro porque se quer,  em vez de ficar histérica cobrindo fios de cabelos brancos”, incentiva Cynthia.

E sobre paquera? Será que mulheres com cabelos brancos são menos atraentes? “Sou paquerada, principalmente por caras mais novos.”, diz a publicitária. Ana Lúcia acredita que o cabelo branco passa uma ideia de segurança com relação a seu corpo atual e aceitação das mudanças que vem com a idade “Isso acaba sendo atraentes para uma boa parcela dos homens”, opina.

A psicóloga e socióloga Cynthia Dorneles sente o mesmo. “Sou  paquerada na vida real e virtual. Não teria como dar conta de tanto assédio que aparecem. E realmente acho que nossa idade é muito mais determinada por nosso astral do que por nossa aparência”, define Cynthia.

Copyright fotos: iStock e Arquivo Pessoal

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto