Balaiagem: o que é, como escolher a tonalidade certa e os cuidados

Cibele Maciet

Saiba o que é a balaiagem, como escolher o tom certo e os cuidados necessários pós procedimento

Gisele Bündchen e Penélope Cruz são adeptas da balaiagem. © Evan Agostini/AP/SIPA e THORTON-PPE/SIPA


Chega a hora, cedo ou tarde, que toda mulher sente vontade de clarear ou mudar a cor dos cabelos, tenha ela os fios claros ou escuros. Mas entre tantas opções de tingimento radicais, existe uma técnica menos invasiva e tão charmosa quanto um total look: a balaiagem.

A técnica nada mais é que clarear ou tingir os fios - dependendo da cor desejada - com mechas em todo o cabelo, partindo da raiz. O efeito é natural, quase como se já fizesse parte das madeixas. O nome balayage, que vem do francês, quer dizer "varredura" (tradução livre), e quer dizer exatamente isso: "varrer" o cabelo inteiro com outros tons de mechas. 

São usados de dois a três tons abaixo da cor original dos fios, com a intenção de dar um efeito natural ao procedimento, como se os fios tivessem sido dourados pelo sol.

Diferença entre balaiagem, mechas, reflexos e luzes

Para entender melhor a balaiagem, é preciso compreender as diferenças entre essa técnica e as mechas, reflexos e luzes.

  • Mechas. Consiste em tingir mechas espessas e utilizam-se de dois a três tons intercalados de acordo com tom da pele e o efeito desejado;
  • Reflexo. Aqui as mechas são mais finas e marcadas, proporcionando um clareamento intenso ou apenas um “tom sobre tom” nos fios;
  • Luzes. São feitas em um único tom a partir de mechas finíssimas espalhadas por toda a cabeça para obter um clareamento sutil.
  • Balaiagem. A balaiagem se assemelha às mechas, mas aqui elas são mais finas e espalhadas no cabelo, dando um efeito bem mais natural.
     

LEIA TAMBÉM

Mechas californianas, ombré, bronde, texanas: entenda as diferenças entre as técnicas
 

Como escolher a tonalidade certa

Na hora de escolher o tom certo para passar nos cabelos, existe uma regrinha básica: para peles claras, o ideal é escolher entre as tonalidades cobre, marrom claro e mel. Lembre-se: a intenção aqui é dar nuances sutis e douradas às madeixas e não um total look.

Para peles mais escuras e negras, a dica é apostar nos tons caramelo ou canela, que conferem um look natural, brilhante e quente às madeixas. Mulheres com esse tipo de pele e cabelos ondulados ou cacheados devem apostar em tonalidades douradas para realçar os cachos ou ondas naturais dos fios.

Se há uma dica geral é: evite mais que dois tons mais claros que a cor natural dos fios. O resultado vai parecer artificial demais.
 

Iman Abdulmajid e Selena Gomez aderiram à balaiagem. © X Prutting/BFA/Shutters/SIPA e Timpone/BFA/Shutterstoc/SIPA

Cuidados pós procedimento

Garantir madeixas sedosas e brilhantes após uma balaiagem não é tarefa fácil, visto que a tintura danifica os fios. O Studio W dá as dicas para hidratar as madeixas de forma correta:

  • Para hidratar bem os fios  após a balaiagem é importante procurar produtos que contenham ceramidas, lipídeos, aloe vera (babosa) e ácidos graxos. Todos esses componentes devolvem água e maciez ao fio.
  • Cabelos com balaiagem, reflexos, mechas ou luzes, com alisamento e com excessos de coloração exigem reconstrução a cada 15 dias;
  • Use protetor solar para cabelo sempre antes de sair de casa, principalmente em dias mais quentes e ensolarados;
  • Evite fazer outras químicas como alisamentos ou escovas progressivas nos cabelos após a balaiagem. Eles podem piorar o ressecamento dos fios, provocando sua queda;
  • Não esqueça de retocar a raiz pelo menos a cada três meses ou quando a raiz começar a aparecer.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto