Alisamento com escova definitiva: saiba tudo sobre a técnica

Raphaela Ribas

Com efeito permanente, escolha pode ser boa para quem quer praticidade e retoques esporádicos

Fios lisos para sempre e sem formol na escova definitiva. © iStockphoto.com/_chupacabra_


Escova progressiva, marroquina, de chocolate, seladora e por aí vai. Se você nunca fez ao menos um destes procedimentos capilares, certamente já ouviu falar deles. Com um resultado duradouro, um dos tratamentos que tem sido muito procurado é a escova definitiva.

O seu grande diferencial é que não precisa ser refeito a cada três meses, como no caso da escova progressiva. O único retoque é feito na raiz, em média a casa seis meses, quando o cabelo cresce, porque onde o produto alisador foi aplicado o efeito é permanente.

Embora o objetivo e processo sejam muito parecidos com a progressiva, há algumas diferenças, além da duração. Uma delas é o princípio ativo. A hairstylist do TP Beauty Lounge, Lina Pinas, explica que enquanto na definitiva o principal ativo para o alisamento é à base de tioglicolato e guanidina, na progressiva é com ácidos e o formol (na dosagem permitida).

Bruno Barros, do Salão Care Body & Soul, acrescenta que os procedimentos se diferenciam também na forma de ação, pois na definitiva o alisamento age na estrutura interna, transformando sua estrutura de dentro para fora do fio do cabelo, a partir de sua formação molecular. Já no caso da progressiva, a ação é externa.

“É o famoso alisamento, só que a base de um ativo que muda a estrutura do fio e garante o efeito chapado por mais tempo. O retoque vai de acordo com o crescimento das madeixas e precisa ser feito somente na raiz”, reitera o hairstylist David Melo, do Jacques Janine Fashion Mall, na Barra.

Aplicação e manutenção

A escova definitiva leva cerca de seis a oito horas para ser feita, pois depois da aplicação do produto alisador, ainda tem uma pausa de uns 20 minutos para ele agir, o enxague, a escova, prancha e a neutralização (que fará com que uma camada impermeável envolva cada fio aumentando a duração da lisura do cabelo), além de uma nutrição capilar no final. Na progressiva não existe pausa e a escovação é por cima do produto sem pausa e nem lavagem.

Os preços, assim como o tempo de aplicação, variam conforme o tamanho e volume das madeixas. Em média, custa R$ 600 nos salões do Rio. A manutenção inclui o uso de bons xampus e hidratações, seja em casa ou no salão. Para Bruno, em geral, a escova definitiva é indicada às clientes que têm um volume excessivo ou a fibra indefinida com várias texturas.

Já David orienta a não descolorir os fios alisados, para evitar o ressecamento dos fios, e também diz que não é indicado caso os fios sejam muito crespos, porque conforme o cabelo natural cresce, a raiz enrolada começa a aparecer e a pessoa terá que fazer mais retoques. “O caimento não ficará muito natural. Nos fios ondulados já não há esse problema”.

Uma recomendação de todos é que o consumidor procure saber sobre a marca que vai usar, para certificar-se de que é um produto autorizado pela Anvisa. Quanto à execução, embora algumas pessoas façam em casa, Pinas ressalta que é melhor a ajuda de um profissional.

“O que vai determinar quem pode ou não fazer a definitiva é o histórico do cabelo da cliente, por isso é necessário o teste prévio. Cabelos com químicas anteriores e extremamente danificados ficam de fora deste procedimento”, Lina.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto