Saiba como escolher o buffet adequado à sua festa de casamento

A redação
O cardápio é o coração de uma festa de casamento: ele precisa funcionar bem para garantir o sucesso do evento.  O ideal é escolher um menu variado, equilibrando comidas tradicionais e algumas inovações

Os finger foods são opções sofisticadas e tendência nos buffets de casamento.


Quem quer uma festa de casamento perfeita, pensa sempre no tipo de cardápio a ser oferecido. Diante de tantas opções, os noivos devem partir de alguns princípios básicos

O primeiro deles é pensar nas pessoas que estarão no casamento. Como bons anfitriões, nada melhor do que fazer essa escolha pensando em seus convidados.  Depois, é tentar aliar os gostos pessoais do casal e definir o que cada um acha que não pode faltar. 

Em seguida, pensar no horário da festa, no clima no dia e se há alguma tradição familiar ou cultural a ser incluída no buffet (uma festa de uma família de origem portuguesa, por exemplo, é quase impensável sem vinho tinto ou bolinho de bacalhau, mesmo de dia). 

A partir daí é contar com a orientação dos profissionais especializados em serviços de buffets para casamentos. A degustação é imprescindível para se fazer escolha certa e é um costume entre os buffets convidar os noivos para outros casamentos. Afinal, é preciso ver como o serviço funciona na realidade. 

Tradição e  inovação

Há variados tipos de produtos e serviços neste vasto universo das festas de casamento. Há os serviços volantes, com os garçons passando entre os convidados o tempo todo, os pontos fixos no salão, refeições completas ou miniporções e tantos outros. 

Para Margareth Rocha, chef do buffet Rappanui Gastronomia, do Rio de Janeiro, servir um ou dois pratos de base e uma variedade de petiscos, balanceados entre os tradicionais e os mais inovadores, é o caminho para agradar a todos os convidados.

"O que mudou a cara dos nossos eventos ultimamente foram os fingers foods, que são pequenas comidinhas servidas em potinhos ou colheres, bem decoradas e bonitas aos olhos. A escolha do menu ainda conta com novidades para incrementar o serviço, como os pontos fixos, com pratos do tipo risoto, massas, crepes e outros", conta Margareth.

A refeição pode ser tanto servida à mesa como em um sistema de self-service, no qual os convidados se dirigem a um ponto fixo e escolhem o prato que preferirem.

Buffet de dia e à noite

Em uma festa de  casamento de manhã é sempre bom pensar em bebidas refrescantes e em opções mais simples para o cardápio, como o brunch, uma mistura de café da manhã com almoço, ideal para festas mais informais e intimistas.A outra opção é um almoço tradicional com entrada, prato principal e sobremesa.

Numa festa de casamento à noite, pode-se ousar mais com pontos fixos, onde se servem os pratos quentes ou oferecer jantares elaborados com serviço à francesa. Mas para isso é preciso certificar-se que há lugar para todos os convidados se sentar.

Outra dica dos chefs é evitar a mesa de frios. "Hoje em dia temos tantas opções na hora de escolher um cardápio que evitamos montar mesas de frios, para não correr o risco de passar por algum tipo de situação que prejudique a qualidade, sabor e visual dos produtos, como a exposição ao calor", alerta a chef do buffet Rappanui. 

As casas de festas acabam por oferecer estas opções de queijos e frios em serviços volantes. Um bom patê, por exemplo, é melhor quando servido por garçons, pois saem frescos da cozinha e rodam o salão sem ficarem horas expostos. 

Equilíbrio entre pratos sofisticados e populares

Para quem fica na dúvida entre servir ou não salgadinho, a chef Margareth Rocha é categórica: "Salgadinhos são elementos que não podem faltar em festa nenhuma. Desde festas black-tie até aniversário da vovó, tem sempre alguém querendo comer uma coxinha de frango". 

Ao fazer a degustação para escolher os buffets, o casal deve observar se há equilíbrio no cardápio, tanto no quesito nutricional, quanto na mistura de pratos e ingredientes tradicionais e inovadores.

Os buffets mais requintados atualmente já contam com a orientação de nutricionistas que, junto com os chefs, fazem constantemente melhorias e adaptações nos pratos.

“Inserimos batata na massa de coxinha. Também usamos beterraba em pó nas massas que, além de colorir, tem a sua função nutricional”, exemplifica a chef do buffet Rappanui. 

Há salgadinhos que levam ingredientes populares, mas são incrementados com algum alimento que lhes dá um ar mais chique. Trouxinha feita na massa de harumaki (também conhecido como rolinho primavera) recheada de queijo coalho e com um toque de melaço, ou um croquete de costela com molho barbecue, são salgadinhos que saem do lugar-comum e costumam ter sucesso.

Um jantar ou almoço com dois pratos, um de carne e outro possível de ser apreciado por vegetarianos, é sempre elegante. Usar os alimentos bem brasileiros e misturá-los com outros mais internacionais também tem sido uma tendência. 

Um purê de batata-baroa (mandioquinha) servido com carne de carneiro é uma ideia. Para sobremesa, trocar o torta de chocolate por uma de goiaba com sorvete de queijo dá ao cardápio um toque inovador e delicioso.

Copyright Foto: iStock

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto