Casamento sem gafes: dicas para uma festa cheia de classe

Ana Paula Cardoso
É preciso indicar o traje no convite? Como evitar uma confusão na mesa de docinhos? E cortar a gravata do noivo, pode? Fuja de gafes na festa do casamento com as respostas a essas e outras perguntas

Festa de casamento elegante, descontraída e sem gafes é possível com alguns cuidados.


Seja no estilo que for, a festa de casamento é a realização de um sonho para o casal. Portanto, é sempre legítimo os noivos estruturarem o evento de acordo com gostos pessoais, sem muitas preocupações com o que está na moda ou o que segue a última tendência do mercado. De acordo com especialistas em organização de casamentos, nada é considerado cafona, desde que se tome cuidado para não "ferir" regras básicas de elegância

Algumas tradições geram discussão e dúvidas entre noivos preocupados em serem bons anfitriões. Cortar a gravata do noivo e pedir dinheiro por cada pedaço, deixar os docinhos na mesa e provocar um “ataque” de convidados no fim da festa ou informar no convite onde se encontra a lista de presentes são exemplos das práticas mais polêmicas ao se organizar uma festa de casamento. Veja como é possível contornar estes e outros hábitos casamenteiros:

 
A lista de presentes
Faz parte das convenções sociais: todo mundo gosta de presentear o casal. O que fere um pouco as regras de elegância é a imposição. O ideal é evitar o cartãozinho informando o local onde se encontra a lista de presentes junto com o convite. Em 99% dos casos, o convidado vai perguntar sobre a lista de presentes ao receber o convite ou ao confirmar presença na festa.

Os trajes dos convidados
Determinar os trajes dos convidados também é considerado deselegante em uma festa de casamento. A tendência do momento é que as festas sejam as mais descontraídas possíveis, oferecendo um momento de confraternização e diversão aos noivos, familiares e amigos. Mesmo após uma cerimônia formal religiosa, uma festa deve ser o lado lúdico e relaxante do evento.

Portanto, nada de dizer aos convidados como eles devem se vestir. Deixe que cada um se ocupe disso. A forma de se vestir adequadamente para um casamento deve ser preocupação dos convidados e não de quem organiza o casamento.

Quem fica no altar
No tempo das novas famílias, muitas noivas e noivos foram criados mais próximos a padrastos, madrastas, avós e tias, por exemplo. Há pais e mães ausentes, que quase não conviveram com os filhos. Há os filhos de casais homoafetivos. Há ainda o amor dividido, na mesma proporção, pelos pais biológicos e os de criação. Como fazer no altar? 

O melhor é tentar ajeitar todos no altar, a maior parte das igrejas não interfere nisso. Caso a festa seja fora de um templo religioso, fica ainda mais fácil. O mesmo vale para quem entra com a noiva ou com o noivo: a escolha deve ser baseada no grau de afeto e convivência. Um avô que criou a neta pode conduzi-la ao altar, mas é sempre elegante uma conversa antes com o pai para informar a decisão.

A espera pela noiva 
Antes do início da cerimônia, é de praxe esperar que a noiva atrase alguns minutinhos – faz (quase) parte do show. Porém, um atraso de mais de 30 minutos é considerado deselegante e ainda atrapalha a programação de toda a festa. Um cronograma simples com os horários de cada “movimento” do grande dia pode evitar o inconveniente. 

Como servir os docinhos
Por mais requintado que seja o casamento, a mesa de doces costuma ser vítima de um "ataque" no fim das festas. Convidados famintos pelos quitutes ou interessados em levar os doces para casa acabam provocando uma verdadeira “devastação” na decoração. Segundo organizadores de eventos, é aceitável os convidados levarem docinhos para casa. 

Mas para que isso não vire o "momento deselegante" da festa, algumas soluções simples podem ser o caminho. Decorar a mesa exclusivamente com o bolo e servir os docinhos em bandejas pelos garçons é uma delas. Outra alternativa é fazer caixas com docinhos e entregá-las aos convidados como lembrancinhas no fim da festa. Estas caixinhas, quando bem decoradas com laços e enfeites, podem inclusive decorar a mesa do bolo.

Cortar a gravata do noivo
O hábito de cortar a gravata do noivo e pedir para que os convidados “comprem” pequenos pedaços, com o intuito de juntar um dinheirinho extra para o casal, pode não ser uma boa pedida. Nem sempre os convidados levam dinheiro para a festa e muitos deles já tiveram gastos extras com o casamento – com roupas, presentes e deslocamento. Essa tradição pode até mesmo constrangê-los.

Convém evitar, mas se o casal não quiser abrir mão, é preciso entender que se trata de uma brincadeira e ninguém é obrigado a contribuir.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto