Saiba como evitar e tratar pelos encravados

Ana Paula Cardoso
Para evitar pelos encravados, aconselha-se esfoliar a pele antes da depilação e não usar pinças. Veja as dicas dos especialistas para acabar com o problema

Para evitar pelos encravados, passe gilete na direção do crescimento dos pelos.


Uma pele lisinha após a depilação é o objetivo de qualquer pessoa. Mas por vezes os pelos encravados tornam-se uma pedra no caminho. Para acabar com o problema, primeiro é preciso entender como acontece  a foliculite, nome técnico usado por dermatologistas para se referir ao problema.

Segundo a definição da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD),  o pelo encravado é a quebra da raiz do pelo antes que ele saia do poro. Como o bulbo capilar deformado antes de brotar, é comum aparecerem inflamações sob a pele.

Estas inflamações, em geral, surgem em forma de vermelhidão ou até de pequenas formações de pus. "A forma mais grave é a formação de furúnculo, quando os tecidos ao redor o pelo encravado são contaminados por bactérias, como estafilococos", explica a dermatologista Leia Carneiro.

Prevenir pelos encravados

Para prevenir o pelo encravado, as seguintes medidas.

  • Esfoliação de pele. Antes da depilação, o recomendado é fazer uma esfoliação com produtos indicados por dermatologistas, ou mesmo com soluções caseiras. Pelos encravados podem ser evitados com uma simples mistura de açúcar com suco de limão, passada sobre a pele em áreas a serem depiladas, em movimentos circulares, com uma bucha vegetal;

  • Uso de gilete. Apesar da comodidade, quando se usa gilete para remover pelos, a probabilidade de o folículo capilar romper embaixo do tecido epitelial é grande. Passe a gilete na direção do crescimento dos pelos. Também é muito importante usar as lâminas apenas uma vez e depois descartá-las. Pelos encravados são uma via de contaminação e por isso o material utilizado deve ser limpo;

  • Roupas. As regiões mais propensas a surgirem pelos encravados são as dobras, como axilas e virilhas. Mas o atrito de roupas, como meia de nylon, também pode favorecer a foliculite. O ideal é não usar tecidos sintéticos ou roupas apertadas;

  • Depilação a laser. A dermatologista Leia Carneiro recomenda que as pessoas com propensão à foliculite façam depilação a laser. Isso porque o laser elimina a raiz do pelo, enfraquecendo seu crescimento e reduzindo a propensão ao pelo encravado;

  • Pinça. O uso da pinça deve ser evitado, especialmente por quem um pele mais sensível. A pinça costuma causar lesões na pele, o que pode fechar o poro e favorecer o surgimento de pelos encravados; 

O que fazer quando o pelo encravou?

Produtos. Cremes hidratantes à base de aloe vera e camomila são ótimos para regenerar o tecido da pele e apaziguar as inflamações causadas por pelos encravados;

Medidas caseiras.  Faça compressas com água morna e gaze esterilizada no local dos pelos encravados. O calor amolece a pele e abre os poros, facilitando a saída do fio que ficou preso sob a parede cutânea;

Médico. Nunca se deve espremer a inflamação causada por pelos encravados. “A inflamação pela foliculite costuma desaparecer naturalmente em torno de três a sete dias”, diz a médica.  Após esse período, se continuar muito incômoda, é preciso consultar um dermatologista, que poderá realizar um procedimento de drenagem, se necessário.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto