Manthus é mais uma técnica que promete reduzir as celulites e gorduras localizadas

Daniel Navas

O procedimento manthus quebra as moléculas de gordura, o que auxilia na redução da celulite e elimina os famosos (e famigerados) pneuzinhos

É possível notar mudanças no corpo já na primeira seção de manthus. © iStockphoto.com/LuckyBusiness


A grande maioria das mulheres (e dos homens também) tem usado a técnica manthus para eliminar alguns quilinhos a mais, que aparecem em forma de gordura localizada na região abdominal. E a consequência do acúmulo de gordura, além do sobrepeso, é o aparecimento das celulites, aqueles pequenos furos que se localizam, principalmente, na região das nádegas. Problema esse que a terapia também ajuda a diminuir.

“O manthus nada mais é do que o equipamento com uma frequência ultrassônica de alta potência, e uma corrente geradora de impulsos elétricos que aceleram o sistema linfático, diminuindo a célula de gordura e eliminando toxinas”, esclarece Ieda Colen, farmacêutica esteta do Studio Dayse Rose, em São Paulo.

E para potencializar ainda mais os resultados, a profissional indica também outras técnicas como, massagem modeladora e drenagem linfática.

A ação do manthus no organismo

O ultrassom vindo do manthus, por ter grande penetração, atuará nos tecidos mais profundos (hipoderme e gordura), promovendo a remodelação por mecanismos térmicos (que geram calor) e não térmicos, devido à melhora da vascularização e síntese de colágeno (melhora da celulite), assim como a corrente elétrica aumentará o metabolismo celular (perda de gordura).

“Por mais que a primeira vez já melhore, são indicadas pelo menos de 10 a 15 sessões de manthus para se ter um efeito mais benéfico”, aponta Michelle de Lima Ourives Palmiro, dermatologista da clínica Bella Derm, em São Paulo.

E os resultados na cintura realmente são visíveis: de 8 a 12 cm a menos na circunferência abdominal após as 10 sessões e a redução das celulites, já que não elimina totalmente o problema.

“Para melhorar ainda mais os efeitos do manthus sobre a gordura localizada e a celulite são indicados a prática de atividades físicas regulares e uma alimentação mais saudável”, afirma Elis Girão, esteticista. O pacote de 10 sessões sai, em média, por R$ 1.500 e para quem quer fazer apenas algumas aplicações, o custo varia de R$ 120 a R$ 200, a sessão avulsa.

Cuidados e contraindicação do manthus

Como os impulsos elétricos do manthus aceleram todo o sistema linfático, pode ser normal e natural que pequenos formigamentos e vermelhidão ocorram no local na aplicação. E mesmo tão eficaz, a técnica não é indicada para todas as pessoas.

Gestantes, diabéticos, pessoas com doenças renais ou hepáticas, problemas cardíacos, epilepsia, infecção na pele e inflamação nos vasos sanguíneos devem evitar o procedimento. 

“Por se tratar de um aparelho de ultrassom com corrente elétrica que estimula o sistema linfático, ele pode causar um processo inflamatório, além de acelerar o metabolismo e isso é prejudicial para quem estiver passando por um dos problemas listados”, finaliza Elis.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto