Não ao anti-idade: o manifesto a aderir

A revista Allure, bíblia da beleza, decidiu banir o termo "anti-anging". Porque devemos também adotar essa atitude para uma mudança de paradigma

Não ao anti-idade! © iStockphoto.com/Ridofranz


Creme para "primeiros sinais" aos 20 anos, botox preventivo aos 25, peelings abrasivos aos 30, preenchimentos aos 40. A indústria da beleza decreta, cada vez mais cedo, que as linhas de expressão e rugas são um problema a ser combatido. Quanto antes, melhor. Mas, releia a primeira frase e repense. O problema não está nos efeitos do tempo no nosso corpo; mas sim na busca inexorável pela juventude eterna, conceito arbitrário do qual se alimenta uma poderosa indústria, apoiada pela mídia e pelo cinema.

Foi pensando na ditadura da juventude como condição única da sociedade contemporânea que a revista norte-americana Allure, a bíblia da beleza, decidiu tomar uma importante decisão: a partir de setembro, o termo "anti-aging" será banido das páginas da publicação e do site. A mensagem veio na carta da editora Michelle Lee na edição que tem na capa a atriz britânica Helen Mirren, linda sem um retoque sequer. “Seja consciente ou não, estamos sutilmente reforçando a mensagem de que o envelhecimento é uma condição que precisamos lutar”, escreveu a editora.

Michelle também cita uma frase de Jo-Ani Johnson, norte-americana que se tornou uma espécie de ativista do envelhecer com graça  - e sim, com cabelos (belos e) brancos: “alguns de nós não têm a chance de envelhecer”. A perspectiva parece óbvia, não? Engraçado como não pensamos assim - talvez por estarmos, na maior parte do tempo, ocupadas buscando remédios e disfarces para combater os sinais implacáveis do tempo.
 

Helen Mirren na capa da Allure de setembro. © Reprodução


Ao final do texto, a editora diz que “linguagem importa”. Sim, importa. Um exemplo banal, citado por ela: "quando falamos de uma mulher, digamos, de 40 anos, as pessoas tendem a qualificar 'ela está ótima… para a idade dela'. Por que não só dizer: 'ela é linda', ponto?"

Na esteira, a Natura acaba de lançar a nova campanha da linha Chronos com o slogan velhapraisso, que denuncia a imposição social de um certo padrão a ser seguido. No desfile de verão 2018 de Gloria Coelho, durante o SPFW N44 (verão 2018), um poster com a hashtag velhapra e lacunas ao lado recebia as convidadas, que preenchiam ali seus sonhos, vontades, ambições que não precisam nem devem ser determinados pelos dígitos no RG.

O manifesto da publicação e a campanha da Natura são duas iniciativas que mostram a vontade atual de mudança de paradigma. Cabe a nós adotar a mesma atitude, no discurso e na prática, tanto em nós mesmas quanto no nosso olhar dos outros.

LEIA TAMBÉM

Old is fashion: conheça o perfil das vovós que respiram moda

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto