Queijo: qual a melhor opção para a dieta?

Bruna de França
Ricota, minas frescal ou cottage? Saiba escolher o queijo certo para manter a boa-forma 
Na hora de escolher o queijo é preciso verificar, além das calorias, o teor de gordura saturada presente na composição. © iStockphoto.com

Tentar emagrecer não significa abrir mão de todos os prazeres culinários. Os queijos podem, sim, fazer parte da dieta. Afinal, além de deliciosos, eles contêm nutrientes importantes para uma alimentação equilibrada, como a vitamina B12, cálcio e proteínas. É preciso, entretanto, saber identificar quais queijos podem ser consumidos regularmente, principalmente quando se quer perder peso.
 
Sempre presentes em aperitivos e petiscos, o provolone,  o gorgonzola e o parmesão são conhecidos por terem alto valor energético e devem ser evitados.  Para quem está de dieta, os queijos mais adequados acabam sendo o cottage e a ricota, além da versão light do queijo minas frescal. Com 98 calorias em cada 100 gramas, o cottage é o queijo mais magro, seguido da ricota (140kcal) e do queijo minas frescal light (160 kcal). 
 
Mesmo com os valores calóricos em mãos, não se pode esquecer, como explica a nutricionista Carla S. Kuperszmidt, do Fleury Medicina e Saúde, que é fundamental ler a tabela nutricional que consta no rótulo do produto para não errar na hora de escolher o queijo. “Mais importante do que olhar apenas o valor calórico, é verificar o teor de gordura saturada do queijo, que contribui para o aumento do colesterol sanguíneo. Quanto menos gordura saturada tiver, melhor”, afirma a especialista.
 
Entre os três queijos mais indicados para a dieta, o cottage é o que possui o menor teor desse tipo de gordura (0,8g). Porém, ele apresenta baixas quantidades de cálcio e proteína - enquanto a ricota apresenta cerca de 253mg de cálcio a cada 100g, a mesma porção de cottage contém apenas 83mg. Quanto à proteína, são 11g contra 12,6g do queijo italiano e 16g do queijo mineiro.
 
Para não se confundir ao comparar as tabelas nutricionais, Kuperszmidt avisa que “é importante ficar atento ao tamanho da porção a que a tabela nutricional se refere, para não se deixar enganar pelas aparências”. Por exemplo, ao comparar um queijo que apresenta 100kcal em 30g com outro que possui 120kcal em 50g, pode-se chegar a conclusão errada de que o segundo é mais calórico que o primeiro.
 

Light, zero ou tradicional?

Mesmo sendo queijos magros, o cottage e a ricota também são vendidos nas versões light e zero.  “O que geralmente muda da versão comum para a light é o teor de gorduras, tanto de totais como de saturadas, que será menor nas versões light. Nas versões zero, como o próprio nome já diz, o produto não contém gordura”, esclarece a nutricionista.
 
Como esses queijos já possuem um baixo teor de gorduras não é necessário optar pelas outras versões, ao menos que se queira diminuir ainda mais o consumo de gorduras.  Quanto ao minas frescal, vale lembrar que o queijo é magro apenas na sua versão light.
 
Prestar atenção nos detalhes não é importante só para quem está de dieta. Quem busca manter uma alimentação saudável deve seguir os mesmos conselhos, lendo a tabela nutricional e evitando os queijos com alto teor de gordura saturada para controlar ou prevenir o colesterol. “Porém, é preciso ressaltar que nem por isso os queijos mais gordurosos devem ser excluídos da alimentação, basta consumi-los com moderação. A chave para uma alimentação saudável é o equilíbrio e o prazer de comer também deve ser levado em consideração”, conclui a nutricionista. 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto