Dieta alcalina elimina toxinas e ajuda a emagrecer

Fernanda Lima
Equilibrando o organismo com a ajuda dos alimentos certos, a dieta alcalina ajuda a desintoxicar e a diminuir a retenção de líquidos 

Dieta prioriza alimentos alcalinos, como produtos integrais e frutas.


Emagrecer e ainda de quebra eliminar as toxinas do organismo parece ser o desejo de muita gente. A dieta alcalina foi criada com esse objetivo e já foi adotada por várias celebridades, como Victoria Beckham, Jennifer Aniston e Kirsten Dunst. A ideia é mudar os hábitos alimentares para manter o pH do corpo alcalino, contribuindo para a desintoxicação do organismo e redução da retenção de líquidos.

Para entender melhor como a dieta funciona, é preciso recorrer aos números. De acordo com Zaíra Costa, professora do curso de Nutrição do Centro Universitário Anhanguera de Niterói (RJ), o pH é o potencial de Hidrogênio do nosso corpo.

O organismo funciona melhor em um pH levemente alcalino (entre 7,3 e 7,4). “Esse valor é o ideal a se alcançar – porque o corpo faz melhor as trocas de nutrientes e de oxigênio com a corrente sanguínea e libera toxinas de forma mais eficiente”, explica a nutricionista. 

Para conseguir alcançar esse equilíbrio, a alimentação é importante: o ideal é que nas refeições 70% do prato seja de alimentos alcalinos e 30% de levemente ácidos. “Má alimentação e estresse tendem a deixar o pH mais ácido e promover ganho de peso”, avalia Zaíra. Essa divisão pode ser feita através do número de refeições: ao fazer 5 refeições por dia, 2 podem ser refeições com alimentos ácidos e 3 apenas com alimentos alcalinos.

A dieta alcalina é basicamente vegetariana, composta por legumes e folhosas verde-escuras, como couve, couve-de-bruxelas, couve-flor, espinafre, brócolis, repolho, alho, cebola e agrião. Contudo, é indicado utilizar algumas proteínas ligeiramente ácidas para equilibrar o pH, tais como carnes brancas, ovos e arroz integral.

Além disso, não é permitido o consumo exagerado de carne vermelha, sal, bebida alcoólica, café e açúcar - grande vilão da maioria das dietas - assim como as frituras. Esses alimentos promovem acidez, e por consequência, reduzem o pH do organismo.

Mas só fazer dieta não adianta: segundo Zaíra, praticar exercícios físicos permite um funcionamento diferente do corpo, que libera mais enzimas, hormônios e o sangue consome os nutrientes adequados. “Tudo é uma questão de equilíbrio. A atividade física adequada dependerá de orientação médica e do profissional educador físico”, alerta.

Alimentos ácidos X Alimentos alcalinos

Embora a lista desses alimentos seja extensa, A Revista da Mulher separou alguns para você entender melhor como funciona a dieta alcalina. A dica é sempre procurar uma nutricionista antes de começar esse plano alimentar.

Alimentos ácidos (evitar)

Café, bebidas alcoólicas, refrigerantes, sal, açúcar, carnes, peixes, leite e derivados (queijo, creme de leite, iogurte, requeijão), farinhas brancas, ovos, doces, alimentos industrializados e chocolate.

Alimentos alcalinos (liberados)

Abacaxi, lentilha, cebola, brócolis, melão, nectarina, couve, alho, castanhas, maçã, espinafre, produtos integrais, azeite de oliva, abóbora, beterraba, alface, abobrinha, batata doce, figo, mamão, frutas cítricas, frutas secas e folhas verdes em geral.

Outras dicas incluem se alimentar a cada três horasbeber muita água e evitar fumar. Além disso, é aconselhável começar a refeição pela salada com verduras cruas, que dever ser temperada com vinagre de maçã ou limão, azeite extra-virgem e ervas como orégano, alecrim e manjericão. Por fim, recomenda-se comer peixe de duas a três vezes na semana e carne vermelha apenas uma ou duas vezes, sem esquecer de começar o dia preparando um suco verde, que limpa o organismo e é rico em nutrientes.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto