Pipoca: alimento saboroso e muito saudável

Ana Paula Cardoso
Estudos comprovam os inúmeros benefícios da pipoca

Pipoca funciona como anti-idade.


Guloseima geralmente associada a bons momentos de entretenimento – como cinema, jogos esportivos e festas infantis –, a pipoca começa a reinar na lista dos alimentos com propriedades nutritivas importantes. Depois de estudos confirmarem que pipoca emagrece, cientistas concluíram outras propriedades benéficas deste saboroso alimento para a saúde.
 
Uma das mais recentes descobertas revela que a pipoca é um alimento rico em os polifenóis, substâncias que combatem o envelhecimento. “Um dos mecanismos dos polifenóis é reduzir danos oxidativos nas frações de lipoproteínas transportadoras (conjunto composto por proteínas e lipídios, que facilitam o transporte das gorduras pelo plasma sanguíneo)”, explica a nutricionista funcional, Carla Cotta.
 
Os polifenóis presentes na pipoca também promovem o chamado transporte reverso do colesterol, quando o HDL (colesterol bom) transporta parte do colesterol ruim, LDL, dos tecidos do corpo humano ao fígado.  Esse processo reduz a quantidade de mau colesterol no sangue, porque o LDL volta para ser metabolizado pelo fígado, em vez de ficar na circulação sanguínea e se acumular nas artérias.
 

Pipoca antienvelhecimento

Foi nos Estados Unidos, há cerca de quatro anos, que uma reveladora pesquisa deu o pontapé inicial para desmistificar a associação da pipoca a alimento proibido para quem quer ter saúde e emagrecer. Na ocasião, cientistas da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, concluíram que o petisco derivado do milho tinha mais polifenóis do que algumas frutas e legumes.

Além de ser um alimento rico em fibra, que facilita a digestão e evita uma série de doenças, a quantidade de antioxidantes presentes na pipoca são responsáveis por diminuir a presença dos radicais livres no organismo. Essa propriedade coloca a pipoca  no rol dos alimentos funcionais, por sua capacidade de combater o envelhecimento e várias doenças, como câncer e Alzheimer.
 
Nutricionistas alertam, no entanto, que para a pipoca ser considerada um petisco adequado à dieta de emagrecimento, é preciso ter atenção ao seu modo de preparo. O ideal é que seja feita com pouca quantidade de gordura e sal. Existem pipoqueiras elétricas no mercado, com as quais é possível fazer pipoca sem gordura.
 
Em nome da boa-forma, vale a pena investir nesta eletrodoméstico. Para se ter uma ideia, enquanto uma xícara de pipoca feita sem óleo tem cerca de 30 calorias, a mesma quantidade do petisco feito com óleo ou manteiga varia de 70 a 125 calorias, dependendo do tipo e quantidade de gordura.
 
Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto