Granola regula o intestino e reduz o colesterol

Fernanda Lima
Cheia de fibras, alimento pode ser misturado à vitaminas, iogurtes ou frutas e, se consumida com moderação, pode até ajudar a emagrecer.
Conheça os benefícios da granola.
 
Parceira de alimentos como o iogurte e o açaí, a granola possui muitos benefícios para a saúde. Segundo Regina Moraes Teixeira, nutricionista funcional, ela é rica em fibras solúveis e insolúveis, vitaminas, minerais e ácidos graxos insaturados. Também é rica em nutrientes, o que a torna uma opção muito interessante para o consumo diário. 
 
Cheia de minerais como zinco, selênio, a granola é um bom antioxidante da dieta, ajudando no combate aos radicais livres. O resultado é a melhora dos casos de prisão de ventre, redução do colesterol e da incidência de câncer no intestino. Apesar de ser um alimento calórico – uma colher e meia de sopa tem 94 calorias –, a granola pode ajudar na perda de peso, uma vez que, pela alta concentração de fibras, promove uma grande sensação de saciedade. 
 
Entretanto, apenas o consumo regular da granola não é suficiente para ter bons resultados. Ela deve fazer parte de uma dieta completa e equilibrada e ser uma das opções de alimentos saudáveis de um cardápio variado. As fibras solúveis da granola também são substratos para os micro-organismos que moram na microbiota intestinal, auxiliando na produção de vitaminas do complexo B, melhorando também a imunidade e protegendo o organismo de outras doenças. 
 
Além disso, a granola também é indicada para os diabéticos, pois ela ajuda a controlar o índice glicêmico, porém, alerta a nutricionista, o ideal é optar pelas versões isentas de açúcar. Ainda é uma boa opção para praticantes de atividade física, pois o alimento também fornece energia ao corpo. “Nesse caso, consuma a granola antes do treino”, ensina Regina. 
 

Sugestões de consumo

A granola é, geralmente, composta de grãos e cereais como cevada, aveia, germe de trigo, flocos de milho, de arroz, de linhaça, frutas secas como uva, banana e maçã, e outras frutas oleaginosas como castanhas de caju, do Pará, amendoim e nozes. Sendo assim, conta Regina, é um excelente acompanhamento e pode ser consumida no café da manhã com leite, frutas, vitaminas ou iogurtes, entre outros alimentos. 
 
A dica da nutricionista é sempre verificar o rótulo para saber os ingredientes que ela contém, para evitar, por exemplo, aquelas cheias de açúcar ou com alto teor de sódio e gordura. Se algum desses ingredientes estiverem em primeiro lugar na lista, o ideal é escolher outra opção, pois eles são listados por ordem de quantidade. Além disso, indica a nutricionista, o ideal é não ultrapassar o consumo de 2 colheres de sopa de granola por dia, de preferência pela manhã.
 
É possível também fazer a granola em casa. A nutricionista Regina Moraes Teixiera passou um receita deliciosa para as leitoras d'A Revista da Mulher.
 
Vale lembrar ainda que ao incluir a granola na dieta, é preciso aumentar o consumo de água, pois o processo de digestão das fibras contidas na mistura consome boa quantidade de líquido do organismo e, se o corpo não estiver bem hidratado, o intestino pode ficar preso. 
 
Bônus: É possível também fazer a granola em casa. Ficou com vontade? Então clique e confira a receita de granola caseira sem glúten que a nutricionista Regina Moraes Teixiera passou para as leitoras d'A Revista da Mulher. 
 
Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto