Comer 2 castanhas do Pará por dia traz inúmeros benefícios à saúde

Fernanda Lima
Semente possui alta quantidade de selênio, um mineral que combate o envelhecimento das células e previne tumores e doenças neurodegenerativas

Invista no consumo da castanha do Pará e garanta diversos benefícios para a saúde.


Da família das oleaginosas, a castanha do Pará (ou castanha do Brasil) é fruto de uma enorme castanheira, árvore nativa da Floresta Amazônica. A semente apresenta uma casca fina e marrom com uma polpa branca. A grande estrela desta castanha, considerada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) um alimento funcional, pois nutre e promove benefícios à saúde, é o selênio, um mineral antioxidante cheio de benefícios.

O selênio combate, por exemplo, o envelhecimento das células causado principalmente pelos radicais livres, além de prevenir tumores e doenças neurodegenerativas, como mal de Alzheimer e esclerose múltipla. Além disso, segundo Regina Moraes, nutricionista funcional, ele é excelente para disfunções tireoidianas, pois protege a glândula da tireoide

Uma única castanha fornece quase 100 mg de selênio, que corresponde a 150% da dose diária recomendada. Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, mostrou, inclusive, que a ingestão diária de duas castanhas-do-pará eleva em 65% o teor deste mineral no sangue, além de ajudar a combater doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2, câncer e obesidade.

Mas não é só selênio que pode ser encontrado na castanha do Pará. O alimento também possui gorduras do bem, ou seja, gorduras 
monoinsaturadas e poli insaturadas, além de contar com ácidos graxos (oleico e palmitoleico) que ajudam a aumentar os níveis de colesterol bom (HDL) e a diminuir os de colesterol ruim (LDL). 

Uma pesquisa feita pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP demonstrou que a ingestão diária de castanha do Pará também ajuda a preservar o cérebro de danos oxidativos relacionados à idade. Além disso, essa ação antioxidante previne doenças cerebrais degenerativas como parkinson, além de auxiliar na prevenção de derrames cerebrais.

Entretanto, vale a moderação, pois 100 g de castanhas do Pará fornecem 656 calorias. O ideal, sugere a nutricionista, é consumir de 1 a 2 castanhas por dia.

Consumo e armazenamento

A castanha do Pará pode ser consumida in natura, torradas ou usadas como ingrediente de pratos doces e salgados, mas vale a dica: seus benefícios são mais evidentes se for consumida sem sal. Outra opção é adicionar as sementes em saladas, frutas, iogurtes e outras preparações. Da castanha ainda pode ser extraído um óleo, utilizado na produção de tintas e cosméticos. Também é uma opção saudável para lanchinhos entre as refeições. 

Devido às condições de umidade, secagem e armazenamento, as castanhas do Pará produzidas no Brasil estão sujeitas a uma contaminação por aflatoxinas, substâncias cancerígenas produzidas por alguns fungos do gênero Aspergillus. Por isso, o ideal é adquiri-las já embaladas. As versões à granel tem maior risco de contaminação, pois são manipuladas por várias pessoas e nem sempre há o controle de validade e exposição.

Quanto ao armazenamento, uma dica importante é mantê-la na geladeira. Isto porque ela possui alto teor de gordura e fica rançosa facilmente. Conservada resfriada, pode durar até cinco meses. Já em locais arejados e secos, seu sabor é preservado por até três meses.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto