Dieta silvestre: cardápio natural e sem carne ajuda a emagrecer e desintoxicar

Fernanda Lima
Benefícios da dieta também incluem a prevenção de diabetes e obesidade, além aumentar a disposição, manter a forma e diminuir os sintomas da TPM

Dieta silvestre consiste em um cardápio vegetariano, natural e orgânico.


Na onda de uma alimentação mais natural, consciente e sustentável, a novidade agora é a dieta silvestre. Baseada em um estilo de vida vegetariano, 100% natural e orgânico, o cardápio promete trazer inúmeras qualidades ao organismo, corpo e alma. O termo silvestre indica ainda que os alimentos consumidos não podem ter intervenção humana direta, como ocorre com os alimentos processados, e devem ser colhidos na  natureza.

De acordo com a Flavia Meddeiros, proprietária da empresa 7 Princípios da Terra e criadora da dieta, “trata-se da reconexão com a natureza, do resgate do lado emocional, da compaixão com os animais e da não manipulação do homem”.

Diferente dos tradicionais cardápios restritivos, que tem dia para começar e acabar, a dieta silvestre se encaixa mais em um estilo de vida com prazo indeterminado. “As dietas restritivas duram dias, semanas ou alguns meses, mas depois causam o efeito contrário. Já um estilo de vida saudável dura para sempre”, explica a especialista em nutrição funcional.  

Os benefícios da dieta silvestre

  • Prevenir a obesidade, diabetes, doenças cardíacas, neuronais e crônicas.
  • Emagrecer, manter a forma e aumentar a disposição.
  • Prevenir intoxicação alimentar e aumentar a expectativa de vida.
  • Reduzir o risco de alergias e desintoxicar no corpo.
  • Diminuir os sintomas da TPM e aumentar a imunidade.
  • Auxiliar na saúde dos rins, reduzir o risco de câncer e proteger a tireoide
 

Alimentação na dieta silvestre

A nutricionista sugere um cardápio com 5 refeições por dia, durante 5 dias para começar a dieta silvestre, que depois pode ser adaptada com outros alimentos naturais. Assim como a maioria dos regimes, restringe o consumo de gordura saturada, carboidratos refinados, doces e frituras. Em substituição, opta por gorduras insaturadas, como é o caso do azeite e das oleaginosas, e alimentos ricos em fibras, antioxidantes, vitaminas e minerais, como as frutas e verduras.

A especialista também acrescenta como boas escolhas da dieta silvestre a soja e seus derivados, quinoa, amaranto, chia, leguminosas, cereais integrais e alimentos ricos em ferro, como os vegetais de folhas verde escuras, além de feijões e algas marinhas. 

Mas não é só de alimentação que se baseia a dieta. A atividade física, chamada de “exercícios silvestres”, também deve ser incorporada ao novo estilo de vida. Os exercícios usam o peso e o esforço do próprio corpo, como na modalidade HIIT.  “A ideia é recuperar a essência da nossa infância, sempre optando por lugares verdes e abertos, como parques.”

Zero carne

Durante os 5 dias da dieta, não existe o consumo de qualquer tipo de proteína animal, o que pode representar um sacrifício para os carnívoros de plantão. Flavia ressalta que essa é apenas a introdução no conceito silvestre e vegano. “O ideal é adotar os principais alimentos, sem que seja sacrificante, mas sim prazeroso”, declarou. 
 
Mas afinal, excluir a carne da alimentação pode trazer benéficos para a saúde? Segundo a especialista, sim. “Um estudo de pesquisadores da Universidade de Oxford já mostrou que o consumo de uma dieta vegetariana reduz o risco de doença cardíaca em 32%, em comparação com uma dieta baseada em carne e peixes”, sugere Flavia.

Ainda neste estudo, pesquisadores descobriram que os vegetarianos também são menos propensos a ter índices de massa corporal elevado ou desenvolver diabetes. “No veganismo podemos substituir os nutrientes existentes nas carnes por muitos outros alimentos. Os aminoácidos e proteínas estão presentes em vários grãos e vegetais”, sugere a expert.

Sugestão de cardápio 

Confira abaixo uma sugestão do que comer durante os 5 dias da dieta silvestre e emagrecer até 3 kg.
 
1º Dia
  • Desjejum: Suco Verde Silvestre (ver receita).
  • Lanche da Manhã: 7 nuts - mix de castanhas e sementes (ver receita).
  • Almoço: Quibe vegano com pasta de berinjela.
  • Lanche da Tarde: Goji Berry.
  • Jantar: Creme de cará com caiena.
 
2º Dia
  • Desjejum: Suco Verde Silvestre
  • Lanche da Manhã: 7 nuts (mix de castanhas e sementes).
  • Almoço: Ragu de Lentilha com purê de cará. 
  • Lanche da Tarde: Muffin funcional sem glúten e sem lactose.
  • Jantar: Creme rosa com gergelim.
 
3º Dia
  • Desjejum: Suco Verde Silvestre
  • Lanche da Manhã: 7 nuts (mix de castanhas e sementes).
  • Almoço: Polpetone de amaranto com queijo vegano. 
  • Lanche da Tarde: Damasco turco.
  • Jantar: Creme de baroa com especiarias.
 
4º Dia
  • Desjejum: Suco Verde Silvestre
  • Lanche da Manhã: 7 nuts (mix de castanhas e sementes).
  • Almoço: Charutinho indiano com molho de tomate orgânico. 
  • Lanche da Tarde: Muffin funcional sem glúten e sem lactose.
  • Jantar: Creme de abóbora com cúrcuma.  
 
5º Dia
  • Desjejum: Suco Verde Silvestre
  • Lanche da Manhã: 7 nuts (mix de castanhas e sementes).
  • Almoço: Burguer de grão de bico com creme de couve-flor 
  • Lanche da Tarde: Ameixa.
  • Jantar: Creme de ervilha com espinafre.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto