Moda anos 50: conheça os looks e as peças que fizeram história

Jessica Krieger

A sensualidade das estrelas de cinema e o New Look de Dior marcaram os “anos dourados”

Marilyn Monroe em 1953: femme fatale de vermelho. © SNAP/Rex Features/REX/SIPA


Na onda do New Look de Christian Dior, que foi sucesso na alta costura em 1947, a moda dos anos 50 foi sinônimo de glamour e feminilidade. A silhueta proposta pelo estilista francês mudou os padrões estéticos, com produções que traziam saias rodadas até os tornozelos e com cintura marcada, além de sapatos de salto e acessórios como luvas, chapéus e joias.

Este estilo marcou toda a década de 50, especialmente para mulheres da alta sociedade que desejavam serem ainda mais cuidadas e mimadas neste período pós-guerra. E a moda teve grande participação na missão de agradá-las. As revistas femininas simplificavam a tarefa de escolher uma roupa para ocasião, dando sugestões seguidas a risca sobre o que vestir no almoço em família ou acompanhar o marido em um jantar de negócios. 

Não é a toa que a década de 50 foi o auge da alta-costura. Designers como Cristobal Balenciaga, Hubert de Givenchy e Pierre Balmain, que décadas depois seriam consagrados no universo fashion, começaram suas carreiras naquela época.  

Mas os anos dourados também contaram com uma moda contra os padrões: ao som do rock que estava começando, estava o estilo colegial ousado, com calças cigarretes, suéter, jeans e a camisa branca, que se transformou em símbolo da juventude com Marlon Brando, no filme “Um Bonde Chamado Desejo”, de 1951.

LEIA TAMBÉM

Moda anos 80: relembre o estilo e as tendências que marcaram a década

Moda anos 70: conheça o estilo que marcou época
 

Modelos com looks criados por Christian Dior no início da década de 50. © SNAP/Rex Features/REX/SIPA

Musas inspiradoras

Enquanto nas casas da classe média as mulheres nem mesmo viam o próprio marido sem estarem devidamente arrumadas e maquiadas, nas telas de cinema atrizes encarnavam estereótipos de perfeição. Gracy Kelly era o ideal de beleza para homens e mulheres, enquanto Audrey Hepburn traduzia uma ingenuidade espontânea e bem sedutora. 

O estilo sensual de Rita Hayworth, Ava Gardner e Marilyn Monroe mexiam com o imaginário popular, especialmente porque essas atrizes eram vistas com roupas justas e decotes arrasadores em uma época onde as mulheres eram extremamente recatadas, criadas para apenas casar, ter filhos e ser uma boa dona de casa. 

Gracy Kelly e Audrey Hepburn: ideias femininos da época. © NANA PRODUCTIONS/REX FEATURES/SIPA

Peças icônicas dos anos 50

Saia com volume – o modelo evasé abaixo dos joelhos, que hoje chamamos de midi, marcou época;

Frente única – os vestidos com esse decote eram usados no dia a dia, coloridos ou com estampas discretas, e nas festas com brilho e casaco de pele;

Cocktail dress – este modelo de vestido estava entre os favoritos das mulheres, especialmente aqueles com decotes discretos e saia pouco abaixo dos joelhos. 

Cigarette – a peça cropped justa virou febre entre as jovens mais descoladas da época.

Acessórios – lencinhos amarrados no pescoço traziam um charme sensual ao look. Da mesma forma, chapéus pequenos para o dia a dia e luvas curtas não poderiam faltar. 

Nas passarelas: looks da Prada, Dior e Erdem inspirados nos anos 50. © iMAXtree

Dos anos 50 para os dias de hoje

Diversos looks daquela década de ouro estão presentes nas produções de hoje: estampas como o poá e o xadrez Vichy são exemplos disso. A saia midi, especialmente os modelos mais amplos e de cintura marcada, estão em alta e trazem aquele mood retrô aos looks atuais. 

Calças cigarettes têm espaço cativo no guarda-roupa atual, assim como vestidos com shape vintage, com decotes tomara que caia ou frente única. Nos acessórios, o lenço ganhou novas interpretações, sendo usado nos punhos, na cabeça e até como cinto. 
 

Influência da década de 50 nos looks atuais das ruas. © iMAXtree

 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto