Educando o paladar infantil: como fazer as crianças se alimentarem melhor

Ana Paula Cardoso
Fazer o filho comer bem nem sempre é uma tarefa fácil para os pais. Saiba como incentivar as crianças a terem hábitos alimentares saudáveis

O paladar infantil pode ser educado através do exemplo dos pais e hábitos saudáveis dentro de casa.


Pais de todas as gerações conhecem o desafio de fazer seus filhos se alimentarem de forma correta. Mas será que o ser humano já nasce com um paladar específico ou o gosto por certas comidas pode realmente ser formado? De acordo com especialistas em nutrição, um pouco dos dois. Há fatores genéticos determinantes para a preferência por alguns alimentos. E por outro lado, também é possível desenvolver o gosto por comidas mais saudáveis, desde que seja adquirido o hábito de consumi-los desde cedo

Não tem segredo, é preciso ensinar as crianças a comer. Isso quer dizer que a alimentação e suas implicações na saúde e no bem-estar devem fazer parte da educação dos pequenos. “Nascemos com tendência a gostar mais do paladar doce, por exemplo, mas no geral o gosto pode ser educado. Daí a imensa importância de campanhas de educação alimentar voltadas para o público infantil”, explica Bia Rique, nutricionista e representante oficial no Brasil da American Overseas Dietetic Association (AODA), afiliada da Academy of Nutrition and Dietetics.

Hábitos em casa x Tentações da rua

Os hábitos alimentares de dentro de casa realmente influenciam nas preferências dos filhos. Embora uma criança com dieta saudável e equilibrada possa virar uma apreciadora de hambúrgueres e refrigerantes (e vice-versa), os hábitos familiares ainda têm enorme influência na forma como as pessoas passam a se alimentar ao longo da vida.

Muitas vezes, os pais têm o cuidado de não dar refrigerante ou doces para o filho, mas quando ele vai para a escola, ou até mesmo para a casa dos avós, acaba provando o "veneno". De acordo com Bia Rique, quando isso acontece, não adianta e nem é saudável emocionalmente para a criança proibir o consumo de tal alimento.

“Os pais não devem ter em casa, nem oferecer estas coisas. Mas quando a criança tiver contato com elas em festinhas, por exemplo, deve-se lidar com naturalidade, conscientizando a criança de que aquilo não deve ser ingerido sempre e explicando os motivos”, ensina a nutricionista.

A luta entre os hábitos em casa e os apelos externos (na escola, na convivência com os amigos, etc) é tema recorrente no consultório de Bia, assim como em um curso que ministra na Casa do Saber, no Rio de Janeiro. “O interesse de pais e educadores em formar crianças com hábitos alimentares saudáveis em casa tem aumentado”, indica a especialista. E essa é a chave para a educação do paladar infantil.

Vegetais e frutas em todas as refeições

Para as mães que querem fazer com que os filhos tenham uma alimentação saudável, uma das principais dicas é incluir vegetais e frutas variados no cotidiano. Todas as refeições devem, sem exceção, conter estes alimentos, nas formas mais diversificadas. Da mesma maneira, convém escolher feijões, carboidratos e grãos integrais.

É aconselhado ainda evitar doces, frituras, refrigerantes e alimentos de conveniência no dia a dia. “O melhor é fazer da refeição um momento de celebração. O alimento é permeado por um contexto cultural, social e emocional que não pode ser negligenciado”, recomenda Bia. Quer mais ideias? Veja aqui 10 dicas para que seu filho coma de tudo.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto