Chegada do irmãozinho: saiba como lidar com os ciúmes do mais velho

Ana Paula Cardoso
A chegada do irmão maios novo pode causar estresse e ciúme nos demais filhos, mas é possível apaziguar a situação
A chegada do irmão mais novo mexe com o emocional e o comportamento das crianças.
Quando a mãe fica grávida e já tem um filho, é comum a criança sentir ciúmes. O irmão sente a mudança na rotina da casa e a chegada de um bebê demanda atenção e cuidados, antes exclusivos ao mais velho. Para a pediatra Flavia Bello, uma das diretoras do HomePad, é natural e até saudável a criança sentir ciúmes, dentro de um limite, diante da chegada do irmão mais novo. 
 
Aos pais, cabe tentar agir com naturalidade e sempre ter uma boa conversa. Eles devem lembrar que a criança sentir ciúmes é normal e é melhor exteriorizar seus sentimentos. 
 
"Os pais devem tentar compreender as situações que pioram o ciúme e explicar ao mais velho a necessidade de maiores cuidados com o bebê. Fazer com que o irmão participe, pedindo ajuda para cuidar do neném, como pegar uma fralda limpa, ajudar a vestir ou outras tarefas que, dependendo da idade, já possam ser feitas", orienta a Dra. Flavia Bello.
 

Regressão no comportamento

Para a psicóloga clínica e psicanalista Nelia Mendes Fernandes, 
o irmão mais velho enciumado pode apresentar alterações de seu
comportamento. Tentativas de agressão ao bebê ou à mãe, assim como comportamentos regressivos - como voltar a pedir mamadeira ou fazer xixi na cama - costumam ser relatados pelos pais com a chegada de um filho mais novo.
 
"É comum (o irmão mais velho) não querer a presença do irmãozinho que, na sua concepção, veio perturbar a ordem já estabelecida das coisas de sua vida. Pedir para jogá-lo fora, devolvê-lo de onde veio, dar para outra pessoa, enfim... todas essas são situações são esperadas", comenta a Dra. Nelia.
 
A especialista ressalta ainda a importância da comunicação entre os pais e os filho mais velho, dizendo-lhe, sempre com afeto, que percebem o quanto a chegada do bebê fez com que se sentisse inseguro. E que compreendem como está sendo difícil não ter mais o mesmo tempo e atenção dos pais, mas que isso não quer dizer que tenham preferência pelo irmão.
 
Este reconhecimento terá um efeito muito positivo no comportamento da criança enciumada. "Os pais devem dizer ao mais velho que ele não precisa se sentir assim porque o amam profundamente e será sempre o filho a quem amam há mais tempo. Amam os dois, porém ele há mais tempo", recomenda a psicóloga.
 

Dicas para lidar com ciúme de irmão

Segundo a psicanalista Nelia Mendes Fernandes, o relacionamento com os pares, irmãos e amiguinhos – as chamadas relações horizontais - desempenham papel importante na constituição da subjetividade de uma criança. Primar pelo desenvolvimento harmônico desta relação entre irmãos é importante para as crianças tornarem-se adultos mais sociáveis.
 
"Doses extras de compreensão, apoio e paciência são bem-vindos para que se aguarde o tempo de adaptação do filho mais velho ao novo bebê. Ultrapassar a fase dos ciúmes com o auxílio dos pais não só fortalecerá esses laços como será motor de desenvolvimento e amadurecimento para o filho mais velho", afirma a psicóloga.
 
Veja algumas dicas para tornar a chegada do irmãozinho mais confortável para o primeiro filho:
 
  • Explique desde a gestação o que vai acontecer. Fale sobre a mudança na vida da família;
  • Converse sobre o lado bom de se ter um irmão: compartilhar brincadeiras, um apoiar o outro, etc;
  • Na maternidade, alguns pais providenciam um presente para o neném "entregar" ao irmão mais velho. "Isso cria um ambiente amigável e remete a lembranças positivas no futuro", reforça a pediatra Dra. Flavia Bello;
  • Peça para as visitas darem uma atenção à criança mais velha. Aos mais íntimos, os pais podem pedir que, caso tenham comprado presentes ao recém-nascido, levem também uma lembrancinha ao mais velho.
 
Copyright foto: iStock 
 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto