Crianças devem dormir na cama dos pais?

Ana Paula Cardoso

Especialistas explicam  a importância de os filhos dormirem sozinhos e dão dicas para fazer a criança dormir na sua própria cama

Crianças acostumam-se a dormir com os pais e depois não querem mais sair da cama deles.


Tão comum quanto choro de bebê é, na hora do sono, as crianças desejarem dormir na cama dos pais. E mais comum ainda é vermos pais cedendo a esta vontade e acabando por perderem sua privacidade. No caso dos casais, perdem ainda aquele momento de intimidade sexual sem o qual um casamento tende a balançar. 

Embora seja compreensível que mães e pais queiram levar o bebê para perto deles, especialistas são categóricos a respeito: uma criança nunca deve dormir na cama dos pais. Nem mesmo depois daquele choro de susto, causado pelo terror noturno, os pais devem levar a criança para a cama, correndo o risco de elas se acostumarem e nunca mais saírem.

"Compreendo a insegurança de pais, especialmente os pais de primeira viagem, e a vontade de levar a criança para o quarto. Até os seis meses, se ficar em um berço ao lado da cama, é aceitável. Depois disso, é conveniente levar a criança para dormir em seu próprio ambiente", diz a psicóloga Isabela Rosa

Criança na cama dos pais: Freud explica

A psicóloga especializada em terapia familiar e de casal, Helena Monteiro, também reitera a necessidade em fazer a criança desde cedo acostumar-se com seu próprio quarto. 

"Existe uma fase chamada de angústia da separação, muito comum após os primeiros seis meses de vida. Acontece que os pais tentam suprir essa fase inserindo a criança em sua cama na hora de dormir", explica Helena.

O problema é que quando a criança passa a dormir com os pais desde cedo, torna-se cada vez mais difícil fazê-la voltar para o seu quarto. A psicóloga Isabela Rosa defende que a criança não percebe que ela é um ser separado da mãe e cabe aos pais ajudarem nesta descoberta. 

"Freud defende que é 'na falha da mãe' que a criança se desenvolve. Quando o filho percebe que a mãe não está ali para servi-lo, que ela é um indivíduo e não a extensão dele mesmo, a criança se percebe como indivíduo. A criança tem que aprender a suportar a angústia de estar sozinha pois isso vai ajudar a desenvolver seu processo de individualização", explica Isabela.

Tirando as crianças da cama dos pais

Embora as especialistas reforcem a necessidade de acabar com a  "festa do pijama" na cama parental, reconhecem a dificuldade dos pais. Dá trabalho e, muitas vezes, os pais estão exaustos e só querem dormir, por isso aceitam a presença dos filhos na cama.  Principalmente quando eles choram.

"Educar nem sempre é tarefa fácil. Mais vale uma manha agora do que uma extrema dependência no futuro", relembra Helena. Veja as dicas para evitar o "vício" das crianças em dormirem na cama dos pais.

  • Babá eletrônica. Logo que o bebê sai da maternidade, geralmente é a insegurança dos próprios pais que os leva a trazer a criança para dormir com eles. Babás eletrônicas, hoje em dia já existe até com vídeo, são a  solução para fazer os pais se acostumarem a dormir sem os filhos;
  • Criança doente. Quando a criança está doente, isso vira a desculpa perfeita para aninhar os pequenos entre os pais. A dica aqui é fazer ao contrário. Tenha um colchonete no quarto dos filhos e durma com eles quando eles estiverem doentes;
  • Porta fechada não entra criança.  Acostume-se a trancar a porta do quarto e a ensinar a criança  abater na porta quando quiserem falar com os pais. Em breve, quando chegar a adolescência, serão eles a querer isso. Trata-se de uma questão de respeito e limites;
  • Tenha paciência. Quando o filho diz que há monstros ou coisas estranhas no quarto, vá com ele e mostre cada objeto com a  luz. Peça para ele mesmo identificar os objetos que, na penumbra, o assustam e mude-os de lugar;
  • Historinhas. Adquira o hábito de contar histórias no quarto das crianças antes de os pequenos dormirem. Uma forma de interação com os pais e de fazer as crianças dormirem pensando nas fantasias despertadas pelos livros infantis;
  • Pais carentes. Observe suas próprias carências. "É comum ouvirmos mães que se separam contarem que o marido desocupou a cama e o filho o substituiu. Isso é um erro. Evite", diz Helena Monteiro;
  • Permissão para dormir com os pais. É preciso reconhecer que a cama dos pais sempre é muito atraente. Então, uma dica para suprir essa vontade é estabelecer o "soninho da tarde" com eles. Seja no fim de semana ou em algum dia de folga, leve as crianças para a cama depois do almoço e faça a siesta com elas. Este momento já vai suprir bastante a carência de os filhos dormirem com os pais.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto