Homeschooling: aprender sem ir à escola é uma boa opção pedagógica?

Ana Paula Cardoso

O aprendizado em casa tem sido a opção de algumas famílias. Conheça um pouco mais sobre o homeschooling

Homeschooling não deve ser confundido com reforço escolar. © iStockphoto.com/ UberImages


O termo homeschooling começa a ganhar espaço nas discussões pedagógicas no Brasil. De origem inglesa, a expressão significa nada mais nada menos do que a educação em casa. Mas não se trata de reforço escolar: o homeschooling pressupõe que todo o programa de aprendizado formal, ensinado normalmente nas escolas, seja lecionado em domicílio.

Embora a legislação brasileira não considere o homeschooling ilegal, a Constituição do país prevê a obrigatoriedade dos pais em matricularem seus filhos em escolas regulares. Enquanto o assunto tramita nas estâncias legais,  a Associação Nacional de Educação Domiciliar (Aned) estima que cerca de 3 mil famílias já pratiquem o homeschooling.

Prós e contras do homeschooling

Segundo Alexandre Petrossov, professor, pedagogo e mestre em literatura pela Universidade de Copenhague (Dinamarca), o homeschooling tem raízes na monarquia. "Os reis, príncipes e membros das famílias reais tinham um preceptor, pessoa responsável pela educação das crianças. O costume depois foi seguido pela rica burguesia, que queria copiar os modos da nobreza", conta Petrossov.

Para o especialista, no entanto, a prática do homeschooling nos tempos atuais exige uma série de cuidados. "É claro que um aprendizado em casa é mais personalizado, mas os pais serem os professores dos filhos não é recomendado. Então, nesse caso, a família precisará ter muito recursos contratar professores particulares", reforça.

Segundo o especialista, os principais prós e contras do homescooling são:

Vantagens

  • Ensino personalizado, que respeita o ritmo de aprendizado da criança;
  • Praticamente nenhum risco de a criança sofrer bullying;
  • Desenvolvimento de disciplina de estudos e de capacidade de aprendizado autodidata.

Desvantagens

  • Criança deixa de ter contato com os colegas de escola e o que pode prejudicar seu desenvolvimento social;
  • Risco de a criança não desenvolver o senso de adaptação à rotina externa, o que poderá ser prejudicial no futuro, caso venha a trabalhar em uma empresa, por exemplo; 
  • Falta de metodologia adequada em casa, que pode não acompanhar os programas do ensino fundamental praticado nas escolas.

Em vez do homeschooling, procurar a escola certa

De acordo com estudos, o homeschooling ganha simpatia dos pais quando eles começam a procura pela primeira escola para os filhos. Muitos decepcionam-se com a estrutura e a metodologia. A partir daí, esses pais entendem que a solução mais adequada é ensinar as crianças em casa.

Para o Dr.Joel Rennó Jr, Ph.D em psiquiatria e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, a criança deve frequentar a escola porque é essencial para o desenvolvimento psicológico e social dela.

"Estudos em casa devem ser realizados de forma complementar e jamais de maneira exclusiva e privando as crianças do acesso ao tipo de informação, aprendizagem e formação importantes que só o meio escolar proporciona com todos os seus recursos pedagógicos e sociais", reforça o Dr. Rennó.

Segundo o especialista, em vez de optar pelo homeschooling, o importante é achar uma escola que proporcione uma vivência integrativa e harmônica com o perfil da criança, dando-lhe plenas oportunidades de desenvolvimento. "Isso evita uma má adaptação inicial em algumas situações", diz o especialista.
 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto