Geração alpha: entenda o perfil da geração que já nasce à frente dos pais

Ana Paula Cardoso

Em contato com uma tecnologia em acelerada expansão, crianças nascidas a partir de 2010 tendem a desenvolver o cérebro de modo bem distinto

Geração alpha: nascidos a partir de 2010 já usam a tecnologia antes mesmo de aprenderem a falar. © iStockphoto.com/deucee_


Em um passado não muito longínquo  uma palmada era permitida, televisão não tinha sequer controle remoto e fotos precisavam ser reveladas. O mundo avança e o comportamento e poder cognitivos das pessoas tendem a acompanhar. Tanto que estipulou-se chamar os nascidos a partir de 2010 de geração alpha, em função de serem crianças que já nascem inseridas no mundo digital.

"A geração alpha demonstra-se mais atenta e com maior domínio dos aparatos tecnológicos, devido aos estímulos apresentados desde a mais tenra idade",  reflete a psicóloga Aline Mello, do Hospital e Maternidade São Cristóvão.

O médico e psicólogo Roberto Debski, reforça que as crianças da geração alpha conseguem interagir de maneira natural com as tecnologias digitais e parecem ser mais inteligentes que os nascidos em gerações anteriores. Ao menos quando se trata de lidar com a tecnologia.

Seria a geração alpha de fato mais inteligente?

Como complementa a psicóloga Aline Mello, pode-se dizer que esta geração apresenta-se mais exposta a fatores tecnológicos como jogos digitais e a interatividade que as novas mídias promovem. Mas ainda é cedo para afirmar quais são os benefícios - e mesmo as desvantagens - desta era para quem vem chegando ao mundo agora.

"Nosso cérebro é muito plástico e essas crianças lidam com informações e estímulos inovadores, gerando conexões neurais que ainda não entendemos nem sabemos aonde chegarão. Nem mesmo temos noção do tipo de mudanças que ocasionarão em sua neurologia", ressalta o Dr. Debski.

Acesso aos computadores, tablets e celulares e a todo tipo de informação que eles transmitem influencia na maneira de interação com o mundo. Os estímulos sensoriais diversos como imagens, sons, cores, links, movimentos, tudo é muito novo e diferente de há poucos anos atrás.

E o que dizer aos pais da geração alpha?

O fato de que o cérebro da geração alpha desenvolve-se de uma maneira ainda pouco conhecida já vem preocupando os pais. Muitos deles sentem-se despreparados para lidar com essa geração, ou seja, os seus filhos.

Mas os especialistas tranquilizam, isso não é motivo para crise. Afinal, todas as gerações anteriores tiveram seus conflitos e acabaram construindo uma via de entendimento. Entre a a geração alpha e seus pais não seria diferente.

"Ainda há uma adaptação na educação voltada a esta geração, até por tratar-se de um movimento mais recente, porém, acredito que para educar uma criança hoje em dia, o melhor foco é sair dos modelos tradicionais e focar em seus gostos, estimulando-os",  orienta Aline Mello.

Tendência da geração alpha

Também para o médico e psicólogo Roberto Desbki, a educação para essas crianças deverá ser mais interativa, sob medida, personalizadoa E segundo o especialista, a grande vantagem da geração alpha é que as crianças serão mais independentes, provavelmente propondo soluções inovadoras e de grande alcance. 

"A tendência é que, quando adultos, não buscarão carreiras sólidas, serão mais rotativos nos currículos. Suas opções profissionais tendem a ser aquelas com pensamento sistêmico e ecológico. E essas características devem ser valorizadas", ressalta do Dr. Debski. 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto