Pilates emagrece? Conheça a relação entre o método e a perda de peso

Etiene Resende
Especialistas explicam como o pilates ajuda a emagrecer e dão dicas de como praticar

Pilates ajuda a emagrecer, apesar de não ser esta a finalidade do método.


Para quem tem como meta a perda de peso, aliar uma dieta balanceada à prática de uma atividade física é a melhor estratégia. Porém nem sempre é fácil escolher a modalidade mais adaptada e entre as diversas opções muitos se perguntam se o pilates pode ajudar no processo de emagrecimento. Na verdade, esse não é seu objetivo principal, como explica Bruna Grandini, especialista em Pilates e proprietária da Dot Pilates. 

“O Pilates é um método de condicionamento físico. Seu idealizador, Joseh Pilates, acreditava que o bom condicionamento físico é um requisito para a felicidade, sendo a boa forma física a obtenção e manutenção do corpo desenvolvido de maneira uniforme juntamente com uma mente sadia”, afirma.

Segundo a especialista, o método propõe aquisição do controle corporal através da contrologia, ou seja, “a coordenação completa do corpo, da mente e do espírito que desenvolve o corpo uniformemente, corrige a má postura, restaura a vitalidade física, revigora a mente e eleva o espírito”. 

O pilates, realizado em pequenos grupos ou individualmente, é uma ótima opção de atividade física direcionada ao bem estar e qualidade de vida do praticante. 

Mas, afinal, Pilates emagrece?

De acordo com a fisioterapeuta Sharon Sultanum de Siqueira, durante a prática do pilates há um grande gasto energético, porém não é o objetivo inicial do método levar à perda de peso. “Se o objetivo do paciente é emagrecer, é necessário junto com o pilates realizar caminhadas, atividades aeróbicas e ter uma alimentação balanceada”, reforça. 

Bruna Grandini destaca que é possível elaborar um repertório de exercícios diversificados, aliando pilates a outras modalidades, para obter resultados mais expressivos. “Mas ele precisa ser executado com a frequência ideal para as características do aluno e combinado com bons hábitos alimentares”. 

A especialista em pilates lembra ainda que cada pessoa tem uma resposta diferente ao estímulo da atividade. “Em nossos estudos 30 aulas é um número em que a grande maioria atinge as expectativas iniciais. Mas em alguns casos é possível perceber mudanças em apenas 10 aulas”, explica.

Qualquer pessoa que deseja praticar uma atividade física com segurança e qualidade tem no pilates uma excelente opção, mas desde que seja acompanhado por um profissional capacitado. Segundo a fisioterapeuta Sharon Sultanum, o pilates é contra indicado apenas em pacientes com lúpus-hemorrágico, e deve ser bem monitorado pacientes cardiopatas e hipertensos.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto