Girl power gourmet: Conheça 10 mulheres que comandam a gastronomia no Brasil

Adriana Douglas
  • Helena Rizzo, Roberta Sudbrack, Paola Carosella e Ana Luiza Trajano são algumas das chefs que esbanjam talento e competência na cozinha profissional. Veja a galeria completa.

    Ana Luiza Trajano e Helena Rizzo são algumas das chefs de destaque no Brasil.


    Elas enfrentam a pressão, suam com o calor intenso dos fornos, encaram longas jornadas de trabalho e ainda desafiam diariamente o machismo histórico que existe na profissão de chef de cozinha. Ser mulher no universo da gastronomia não é fácil, mas nem por isso elas desistiram do sonho de trabalhar como cozinheiras profissionais.

    Com muita competência e talento, as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço e reconhecimento no cenário gourmet a nível global. Prova disso foi a criação do prêmio de melhor chef mulher do mundo, em 2014, pela célebre revista britânica Restaurant – entregue à gaúcha Helena Rizzo, do restaurante Maní, de São Paulo. 

    E falando em Brasil, é justamente em solo tupiniquim que as mulheres estão ganhando destaque na cozinha. Comandando restaurantes renomados, Roberta Sudbrack, Ana Luiza Trajano, Renata Vanzetto, Paola Carosella e Janaína Rueda são algumas das chefs que lideram a gastronomia do país. Veja mais na galeria a seguir.

    Copyright fotos: Alexandre Schneider e Bruno Geraldi

  • Helena Rizzo

    A gaúcha Helena Rizzo, considerada melhor chef do mundo em 2014.


    Antes de pisar na cozinha, a gaúcha Helena Rizzo chegou a estudar Arquitetura, se aventurou como modelo e ainda trabalhou como garçonete. Foi por volta de seus 18 anos, morando em São Paulo, que ela descobriu seu interesse pela gastronomia. Aos 21, embarcou para a Europa, onde adquiriu experiência em diversos restaurantes, chegando a trabalhar no premiado El Celler de Can Roca, em Girona (Espanha).

    De volta ao Brasil, abriu o restaurante Maní em 2006, na cidade de São Paulo, junto com seu então parceiro Daniel Redondo. Praticando uma cozinha contemporânea calcada em ingredientes tipicamente brasileiros, Helena ganhou projeção mundial ao ser eleita a melhor chef do mundo, em 2014, pela revista britânica Restaurant – mesmo ano em que o Maní ocupou a 36ª posição da lista de melhores restaurantes do mundo.

    Copyright foto: Bruno Geraldi

  • Roberta Sudbrack

    Roberta Sudbrack é entusiasta da comida de rua.


    Roberta Sudbrack começou a trabalhar com comida quando ainda era jovem, vendendo cachorros-quentes nas ruas de Brasília. Autodidata, aprendeu a cozinhar sozinha e conseguiu a oportunidade de comandar a cozinha do Palácio da Alvorada, durante a gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso

    Depois de sete anos elaborando os cardápios presidenciais, a chef se mudou para o Rio de Janeiro para abrir seu próprio restaurante, que levava seu nome. Instalado em uma pequena casa no Jardim Botânico, o Roberta Sudbrack chegou a receber uma estrela Michelin. Porém, no final de 2016, o estabelecimento foi fechado para a chef investir em novos projetos. Por enquanto, ela continua no comando do Da Roberta, bar de comida de rua instalado no Rio de Janeiro.

    Copyright foto: Reprodução/Instagram

  • Ana Luiza Trajano

    Ana Luiza Trajano: especialista em cozinha brasileira.


    Formada em administração, Ana Luiza Trajano decidiu abandonar o meio dos negócios para apostar em sua paixão pela gastronomia. Aperfeiçoou seus dotes culinários na Itália e, ao voltar para o Brasil, inaugurou em 2006 seu restaurante Brasil a Gosto, em São Paulo.

    A chef se firmou como pesquisadora da cozinha brasileira, valorizando ingredientes e receitas nacionais. Em 2016, transformou seu estabelecimento em Instituto Brasil a Gosto com o propósito de estudar e difundir ainda mais a culinária brasileira. Quem quiser, pode conferir o trabalho de Ana nos três livros que publicou: Brasil a Gosto, Cardápios do Brasil e Misture a Gosto.

    Copyright foto: Alexandre Schneider

  • Renata Vanzetto

    Renata Vanzetto comanda oito empreendimentos próprios.


    A paulista Renata Vanzetto é um talento precoce da gastronomia brasileira. Iniciou sua carreira aos 18 anos, quando abriu seu primeiro restaurante, o Marakuthai, em Ilhabela, litoral de São Paulo. Hoje, com quase 30, comanda outros sete empreendimentos: os bares MeGusta e Lambisgoia, o restaurante contemporâneo Ema, outras duas unidades do Marakuthai e ainda dois buffets para eventos.

    Dona de um estilo despojado e cheio de influências litorâneas, Renata tentou cursar a faculdade de gastronomia, mas desistiu logo no início. Preferiu seguir seu tino culinário e cria quase que intuitivamente seus pratos. 

    Copyright foto: Juliana Matos

  • Paola Carosella

    Paola Carosella: argentina radicada no Brasil.


    Natural da Argentina, Paola Carosella aprendeu a cozinhar com seus avós ainda na infância e chegou a trabalhar em pequenos restaurantes locais na juventude. Antes de desembarcar no Brasil, teve um período de experiência em cozinhas profissionais na França, nos Estados Unidos e no Uruguai.

    Em 2001, chegou à São Paulo para abrir e dirigir a cozinha do Figueira Rubaiyat, junto a Francis Mallmann e Belarmino Fernandes Iglesias. Desde então, inaugurou três restaurantes próprios na capital paulista (o extinto Julia Cocina, o Arturito e o café La Guapa) e recebeu diversos prêmios da imprensa especializada.

    Paola ganhou fama nacional a partir de 2014, quando assumiu o posto de jurada do programa MasterChef Brasil, exibido pela Band. No final de 2016, a chef lançou seu primeiro livro, chamado Todas as Sextas, que traz receitas e relatos autobriográficos.

    Copyright foto: Reprodução/Instagram

  • Janaína Rueda

    Janaína Rueda: de consultora de vinhos a consultora de merendas escolares.


    Com uma extensa lista de prêmios no currículo, Janaína Rueda embarcou na gastronomia quase que por acaso. Começou a cozinhar na infância por intuição e seguiu carreira no comércio, trabalhando como consultora de vinhos na multinacional Pernod Ricard. Apenas em 2008 conseguiu realizar o sonho de abrir um bar, o Bar da Dona Onça, com a ajuda de seu marido Jefferson Rueda, que também é chef.

    Conhecida como entusiasta da culinária caseira interiorana, a paulistana foi escalada em 2016 pelo Governo de São Paulo para criar pratos para a merenda das escolas estaduais. No projeto, Janaína ensina técnicas culinárias a mais de 2 mil merendeiras do estado, dando dicas de preparo, sugestões de temperos e apresentações dos pratos.

    Copyright foto: Divulgação

  • Carla Pernambuco

    Carla Pernambuco estudou Comunicação e trabalhou como atriz antes da gastronomia.


    Com mais de 20 anos de experiência na gastronomia, Carla Pernambuco se tornou uma referência em cozinha brasileira. Antes da culinária, a chef gaúcha estudou Comunicação e chegou a ser atriz, até que tomou gosto pelo universo gourmet ao fazer cursos de especialização em Nova York.

    Com oito livros lançados, a chef hoje se divide entre os compromissos como sócia proprietária do restaurante Carlota e do Estúdio Carla Pernambuco, ambos em São Paulo, e como apresentadora de dois programas do canal Discovery Home & Health (Com Que Receita Eu Vou e Cozinhando no Supermercado) e de seu próprio canal de receitas no YouTube, chamado Boca a Boca.

    Copyright foto: Paula Carrubba

  • Carole Crema

    Carole Crema é especialista em pâtisserie.


    Carole Crema começou sua carreira na culinária em meados dos anos 1990. Formada pela Thames Valley University e The Moisimann Academy, em Londres, e pelo instituto La Cultura Alimentari, de Milão, a chef se especializou em pâtisserie tradicional e foi precursora de modas gastronômicas no Brasil, como o brigadeiro de colher e os cupcakes.

    Atualmente, além de comandar a doceria Carole Crema Doces (antigo La Vie en Douce) em São Paulo, é professora da Escola Wilma Kövesi de Culinária e uma das juradas do programa Que Seja Doce, do canal GNT. Carole também acumula em seu currículo a autoria de dois livros: 400 g e O Mundo dos Cupcakes.

    Copyright foto: Reprodução/Facebook

  • Bel Coelho

    Bel Coelho, criadora do projeto Clandestino.


    Criativa e inovadora, Bel Coelho é mais uma entusiasta da cozinha brasileira contemporânea. Começou sua carreira profissional com apenas 17 anos, ao fazer um estágio com o renomado chef Laurent Suaudeau. Depois, teve passagens pelas cozinhas de restaurantes como Fasano e D.O.M. Entre 2005 e 2007, foi morar na Europa e trabalhou em diversos estabelecimentos de países como Inglaterra, França, Portugal e Espanha.

    Na volta, em São Paulo, abriu seu restaurante Dui, que abrigou no piso superior o projeto Clandestino, que tinha um menu especial servido apenas uma vez por semana. Com o fechamento da casa, em 2013, Bel resolveu inovar no formato de seu próprio negócio e retomou o Clandestino, em novo endereço, servindo um menu-degustação, uma semana por mês, mediante reserva.

    Copyright foto: Reprodução/Instagram

  • Morena Leite

    Morena Leite tem sete livros lançados e ainda comanda um canal no Youtube.


    Morena Leite cresceu em Trancoso, na Bahia, e tomou gosto pela cozinha por conviver no ambiente do restaurante Capim Santo, comandado por seus pais na cidade baiana. Aos 17 anos, foi para Paris estudar na renomada escola de culinária Le Cordon Bleu, onde se formou chef de cozinha e pâtisserie.

    Em 1999, abriu a unidade paulistana do Capim Santo, que a lançou no meio gastronômico do Brasil. Hoje, a chef é também dona do restaurante Santinho, que tem três unidades em São Paulo, e também comanda seu próprio canal no YouTube, o Mistura Morena. Ao longo da carreira, publicou sete livros (sendo o mais recente Tapioca – História e Receitas) e ainda inaugurou a escola de culinária Sabores e Saberes.

    Copyright foto: Reprodução/Instagram

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto