Temperos: guia de como utilizar as ervas e especiarias

Daniel Navas

Saiba em quais pratos utilizar os 10 temperos mais consumidos no Brasil

Os temperos fazem parte do dia a dia de quem gosta de cozinhar e dar sabor às comidas. © iStockphoto.com/Shaiith


Quem gosta de cozinhar sabe a importância que os temperos têm. Mas entre tantas opções de ervas e especiarias, nem sempre é fácil saber quais utilizar nas receitas. Para ajudar os amantes de cozinha a dar ainda mais sabor aos pratos, A Revista da Mulher fez um guia dos temperos mais consumidos pelos brasileiros:

Salsinha

Características: considerado um dos temperos mais populares e usados na culinária brasileira, a planta combina com praticamente todas as preparações por conta do seu sabor suave. Além disso, É um símbolo das culinárias indiana, tailandesa e de países indo-portugueses. 

"A salsinha ou salsa tem algumas propriedades nutricionais, sendo rica em minerais como cálcio, ferro, fósforo e enxofre, além das vitaminas C e A”, aponta Alessandra Ades, nutricionista do Restaurante Maniva, em São Paulo. 

Combinações: vai muito bem em saladas, suco verde, chá, sopas, ensopados, carne e peixes. 

Curry

Características: é uma mistura de ervas secas, torradas e moídas, como gengibre, pimenta dedo-de-moça, pimenta vermelha, canela em rama, cominho, pimenta-do-reino, cardamomo, cravo, erva-doce, cúrcuma e coentro em grãos. Tem sabor forte, muito característico e levemente picante.

Tempero típico da culinária indiana, a fabricação de curry é um ritual diário nas casas do país, porém não existe uma receita universal, já que cada família tem o seu modo de preparo. “A única ressalva é que para ser um curry  precisa de, no mínimo, nove especiarias, entre elas coentro, cominho e três tipos de pimenta”, aponta Maria Fernanda Cortez Giansante, nutricionista da Boali, em São Paulo.

Combinações: o curry é muito versátil e fica ótimo em peixes, frangos, molhos de carne e risotos. Também combina com legumes, ovos, aves, carne de porco e ensopados.

Noz moscada

Características: tempero obtido do fruto da moscadeira, uma árvore de porte alto, que atinge até cerca de 10 a 15 metros de altura. Originária da Indonésia, é muito utilizada na culinária árabe e seu sabor é levemente adocicado, com aroma muito forte, o que lembra uma mistura de pimenta-do-reino com canela.

Combinações: superversátil, a noz-moscada pode ser usada em pratos doces e salgados, além de combinar muito bem com bebidas quentes, como chás, café, capuccino e chocolate quente.

Pimenta-do-reino

Características: de origem asiática, o tempero foi trazido para o Brasil pelos portugueses na colonização. “Os grãos provêm das bagas da pimenteira, uma planta trepadeira da família Piperaceae, que se desenvolve nas florestas equatoriais da Ásia”, conta Alessandra. Com uma leve picância, a pimenta-do-reino tem sabor um pouco mais suave do que a pimenta biquinho. 

Combinações: praticamente todo tipo de receita salgada, como carnes vermelhas, aves, molhos, refogados, massas e cremes salgados.

Cúrcuma

Características: também conhecido como açafrão da terra, o condimento é feito a partir de uma raiz da família do gengibre. A cúrcuma é muito utilizada na culinária indiana, no preparo de feijões e lentilha, e também para aromatizar pratos adocicados, como arroz doce e sorvete. “Já na gastronomia espanhola, é usada em pratos típicos como paellas e é um dos condimentos muito utilizado em pratos tradicionais do Mediterrâneo e Europa”, acrescenta Marília Zielinski, nutricionista da Grings Alimentos Saudáveis, de São Paulo. 

O sabor da cúrcuma é marcante e levemente picante, por isso, durante o preparo culinário, deve-se ter cautela ao misturar com outros temperos que tenham um aroma forte, a fim de manter o equilíbrio de sabor do prato.

Combinações: no Brasil, um dos pratos típicos do Centro Oeste, a galinhada, leva o tempero, que também pode ser adicionado em pratos à base de qualquer tipo de carne, além de frutos do mar, arroz, saladas, sopas, molhos, massas, legumes, ensopados e ovos.

Manjericão

Características: planta herbácea de flores verdes brilhantes e folhas ovaladas, tem sabor doce e picante. “De origem indiana, foi trazida para o Brasil pelos italianos e é considerada uma planta sagrada”, conta Samanta Brito, nutricionista da Estima Nutrição, em São Paulo.

Isso porque, de acordo com a história, ramos de manjericão cresciam ao redor do túmulo de Jesus Cristo, após a sua ressurreição. Além disso, o tempero, quando colocado em um vaso na entrada de casa, ajuda a evitar a entrada de energias negativas.

Combinações: o manjericão fresco é indicado para jogar por cima de pães ou pizzas. Além de ser ótimo como molho e também para temperar carnes.

Orégano

Características: é uma erva perene e aromática e suas as folhas são utilizadas frescas ou secas. Com sabor ligeiramente amargo e quente, esse tempero é típico da culinária italiana.

Combinações: é recomendado que se utilize em molhos de tomate, pizzas, carnes, salada e pratos à parmegiana.

Alho

Características: é uma planta, cujo bulbo (a cabeça do alho), é comestível e utilizado como tempero e para alguns fins medicinais. “Típico da Ásia e Egito, existem diversas técnicas de preparo e isso pode alterar a característica do sabor”, esclarece Samanta.

Por exemplo, quando usado o dente inteiro do alho ou cortado em grandes pedaços, o tempero pode ser usado para temperar carnes, o que dá um sabor mais forte ao alimentos.

Agora, quando assado, o alho vira um purezinho com aroma mais adocicado. Também é bastante usado o tempero picadinho ou amassado e frito, como na preparação do arroz.   

Combinações: carnes, peixes, arroz, massas e tempero de todos os alimentos.

Cebolinha

Características: pertencente à família da cebola, esse tempero é uma hortaliça e há registro de seu cultivo cerca de 3.200 anos A.C., na civilização persa. “Há duas espécies de cebolinha: uma originária da Sibéria, a fistulosum, popularmente conhecida como cebolinha-comum ou verde, e a schoenoprasum, originária da Europa e também conhecida como cebolinha-de-folhas-finas ou galega”, explica Marília Zielinski.

Seu sabor é parecido com o da cebola convencional, porém mais acentuado. A cebolinha pode ser utilizada como opção para reduzir o uso de sódio e temperos prontos na hora de cozinhar. “A culinária oriental utiliza a cebolinha para dar mais sabor às sopas, como o missoshiro que é a tradicional sopa de missô, e também outros pratos típicos, como o yakimeshi, arroz temperado com o tempero”, diz a nutricionista.

Combinações: a cebolinha é muito versátil, por isso pode ser incluída em diversos tipos de receitas culinárias e tradicionalmente usa-se para aromatizar recheios de tortas salgadas, molhos de massas, sopas, omeletes, saladas, entre outros.

Coentro

Características: é uma erva aromática usada como tempero ou condimento. “Sua origem é incerta, mas muitos dizem que veio do Mediterrâneo, onde os gregos e os romanos utilizavam em pratos e bebidas”, conta Maria Fernanda.

O sabor do coentro tem toques cítricos e marcante, sendo muito utilizado na culinária indiana, árabe e portuguesa. Além desses, também é bastante utilizado na culinária brasileira, no Nordeste e também na região Norte.

Combinações: vai muito bem em moquecas, ceviches, saladas e casquinhas de caranguejo.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto