Saiba mais sobre a endometriose

Fernanda Lima
A doença, que atinge mulheres entre 16 e 36 anos, tem como principal sintoma cólicas fortes. Nos casos mais graves, a endometriose pode levar à infertilidade

A endometriose ocorre quando há a presença de tecido endometrial do lado de fora do útero.


Bastante comum, a endometriose é uma doença crônica que caracteriza-se pela presença de tecido endometrial do lado de fora da cavidade do útero. Esse tecido, que normalmente reveste a parede interna do útero, é produzido a cada ciclo menstrual para acolher e nutrir o futuro embrião nos estágios iniciais da gravidez. 

Se o óvulo não é fecundado, o tecido é expelido com a menstruação. No caso da endometriose, essa mucosa não pode ser eliminada uma vez que é produzida fora do útero. 

Se a endometriose não for tratada, o tecido endométrico pode atingir os ovários, as trompas e até intestino e bexiga. A Dra. Luciana Bandeira Nunes Camargo, ginecologista da Brasil Telemedicina, explica que, em contato com outros tecidos, o endometrial tem grande capacidade de secreção hormonal e pode produzir intensa reação inflamatória.  

Causas e Sintomas

A endometriose afeta 6 milhões de brasileiras no período reprodutivo, na maioria entre 16 e 36 anos, explica Nunes Camargo. Entre as principais causas estão a genética e a deficiência no sistema imunológico. Mas existem também fatores de risco que devem ser levados em conta, como a menstruação atrasada - que leva o endométrio para a cavidade abdominal aumentando as chances da doença no local -, ciclos menstruais frequentes,  estresse e ansiedade.


Além das dores nas costas, a endometriose tem como principal sintoma a cólica menstrual intensa. A ginecologista também alerta para sintomas como dores durante as relações sexuais, dores difusas ou crônicas na região pélvica, fadiga crônica e exaustão, alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação e dificuldade para engravidar

Tratamento

Segundo a especialista, é ideal que a doença seja diagnosticada precocemente, quando as sequelas sobre o sistema ginecológico serão menores. O tratamento consiste em um procedimento cirúrgico para retirada das lesões, reparação das aderências e desobstrução das trompas ou na prescrição de medicamentos para bloquear a produção hormonal

Dependendo da gravidade da doença e das sequelas no aparelho reprodutor feminino, a endometriose pode levar a esterilidade. Como prevenir continua sendo o melhor remédio, a médica alerta para a importância de consultar um ginecologista ao menor sintoma da doença,  além de manter em dia os exames ginecológicos de rotina.

Copyright foto: iStock

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto