Laqueadura: entenda este método contraceptivo definitivo e seguro

Etiene Resende
Também conhecido como ‘ligadura de trompa’, procedimento contribui para o planejamento familiar e, em alguns casos, é feito também por indicação médica

Método definitivo elimina necessidade de outros.


A falta de  métodos contraceptivos não pode ser usada como desculpa para uma gravidez inesperada. Existem diversas formas de evitar filhos, adequadas a perfis variados. Uma delas é a laqueadura, também chamada de ligadura de trompas, uma esterilização voluntária definitiva. 

Com 99% de eficácia comprovada para evitar a gravidez, este método anticoncepcional consiste em amarar ou cortar as trompas da mulher. Com o caminho interrompido, o espermatozoide não chega até o óvulo para consolidar a fecundação.

“A laqueadura é um procedimento cirúrgico realizado com o objetivo de esterilização definitiva de mulheres”, afirma Georges Fassolas, ginecologista e diretor da Clínica Vivitá. Ele destaca ainda que a laqueadura pode ser feita de três maneiras diferentes

 - Por via abdominal, com uma incisão semelhante à da cesárea, porém menor; 

 - Por via vaginal, em que se faz a incisão no fundo vaginal; 

 - Por via laparoscópica, na qual se fazem três pequenas incisões no abdome: duas na região pélvica e uma no umbigo. 

Segundo o especialista, em todas as vias, o procedimento é realizado cortando-se uma porção das tubas uterinas, que são posteriormente ‘ligadas’, obstruindo as tubas uterinas.

Quem pode fazer uma laqueadura

Em geral, no Brasil a cirurgia para ligar as trompas costuma ser feita após uma cesariana e somente quando a paciente já é mãe de ao menos dois filhos. Em todo caso, a decisão final deve ser sempre da mulher sobre fazer ou não a laqueadura, exceto nos casos de indicação médica. 

“A laqueadura pode ser recomendada por um médico em situações em que uma gravidez futura possa colocar em risco a vida da mulher”, destaca Georges Fassolas. O especialista lembra ainda que trata-se de um procedimento definitivo e irreversível, na maioria os casos. 

Mas embora seja um dos contraceptivo mais seguros, a possibilidade de falha do método existe. Há casos raríssimos de reversão espontânea da cirurgia, que ocorre uma vez a cada 400 cirurgias, de acordo com dados do Ministério da Saúde. 

Planejamento familiar

São vários os motivos que levam uma mulher a optar pela ligadura como forma de evitar a gravidez, mas um deles é o mais frequente. “Muitas mulheres optam pela laqueadura exatamente por se tratar de um método irreversível, permitindo-lhe abrir mão do uso de outros métodos como pílula anticoncepcional, anel vaginal ou DIU”, destaca o ginecologista.

É possível realizar a cirurgia de laqueadura através do Sistema Único de Saúde (SUS), mas para que isto aconteça são observados alguns critérios. Nestes casos, o procedimento é liberado para mulheres com 25 anos ou mais e que já tenham pelo menos dois filhos vivos

Além disso, é preciso que ela ou o casal tenham também um planejamento familiar. Estas exigências têm como objetivo reduzir as chances de arrependimentos futuros.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto