Laqueadura: conheça os prós e contras deste procedimento

Ana Paula Cardoso
A recomendação é que apenas casais com mais de dois filhos devem optar por este método anticoncepcional definitivo 

Laqueadura é um métodpo anticoncepcional só recomendado a casais com mais de dois filhos.


A escolha do método contraceptivo mais adequado precisa ser sempre muito bem avaliada pela mulher ou pelo casal. Uma decisão definitiva de não ter mais filhos, com a opção da vasectomia no homem e da laqueadura na mulher, exige maior busca por informações e muito aconselhamento médico.

"A laqueadura tubária funciona como método anticoncepcional definitivo porque é um procedimento que causa interrupção no trajeto de ambas as tubas uterinas, impedido, assim, que os espermatozoides cheguem ao óvulo liberado por qualquer um dos dois ovários", esclarece ginecologista e obstetra Dr. Franco Loeb Chazan.

Laqueadura: prós e contras

O médico lembra que a laqueadura impede a gravidez, mas não tem nenhum efeito protetor sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Este aspecto negativo do procedimento faz com que ele seja indicado somente a mulheres que estejam em relacionamento estável e duradouro.

Normalmente, a laqueadura é realizada durante uma cesárea, mas pode ser realizada também fora da gravidez, desde que a mulher cumpra os pré-requisitos exigidos pela legislação. Este procedimento só deve ser feito em mulheres maiores de 25 anos de idade e com pelo menos com dois filhos vivos. 

Também é preciso cumprir o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico. Pela lei brasileira, a mulher tem direito a serviços de regulação da fecundidade, incluindo aconselhamento por equipe multidisciplinar que visa desencorajar a esterilização precoce.

Um dos aspectos positivos da laqueadura é que ela pode ajudar mulheres com risco à vida ou à saúde em caso de concepção. Neste caso, torna-se necessário um laudo testemunhado em relatório e assinado por dois médicos.

Como é feita a laqueadura

Atualmente, existem três opções para realização da laqueadura tubária:

1. Via Laparoscópica

A laqueadura por laparoscopia é um procedimento cirúrgico realizado através do abdômen, com introdução de um dispositivo chamado laparoscópio. O médico pode usar anéis ou clips para fechar as trompas. Outra possibilidade é cauterizá-las por meio de calor.

2. Minilaparotomia

A minilaparotomia é uma cirurgia feita imediatamente após o parto ou até dois dias depois. O médico faz uma pequena incisão no abdômen e, em seguida, remove uma parte das trompas de Falópio de cada lado. Este procedimento não deve ser feito muitos dias após o parto, já que o útero ainda grande facilita a cirurgia. 

3. Laqueadura tubária histeroscópica
A laqueadura tubária histeroscópica é uma laqueadura sem cirurgia, que pode ser feita fora de ambiente hospitalar, apenas com anestesia local. 
Neste procedimento o aparelho endoscópico, chamado histeroscópio, entra pela vagina, atravessa o útero e chega às trompas onde insere uma pequena mola chamada Essure. A inserção de um objeto estranho nas trompas causa uma reação do sistema imunológico, provocando inflamação e posterior crescimento de tecido cicatricial, o que provoca o fechamento das trompas.

Arrependimento após a ligadura de trompa

O arrependimento em relação à esterilização definitiva geralmente surge nas mulheres que realizaram a laqueadura ainda jovens, antes do 25 anos. 
São mulheres que muitas vezes se separam, acabam casando novamente e passam a querer um filho com o novo marido.

"A laqueadura é considerada uma esterilização definitiva. Em alguns casos a reversão até é possível, mas há riscos e o procedimento é muito mais complexo do que a ligadura das trompas", informa o Dr.Franco Loeb Chazan.

Segundo o médico, a taxa de sucesso da reversão é de apenas 20%. Por isso, se a paciente tiver qualquer dúvida ou insegurança, a laqueadura não deve ser o método contraceptivo de escolha.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

2 comentários

"os pré-requisitos exigidos pela legislação" eu adoraria saber com que critérios estabelecem esses pré-requisitos. Quer dizer que a lei determina que eu preciso ter filhos, para fazer laqueadura?Hoje a mulher tem liberdade para fazer tatuagem, colocar pircing, ter quantos parceiros quiser, mas caso não queira definitivamente ter filhos através de uma cirurgia, ela não pode?Por que a legislação não proibe que homens façam vasectomia sem que tenham filhos? existem diversos métodos contraceptivos, eles poderiam optar por outro que não seja a cirurgia. Se a laqueadura é irreverssível, isso deveria ser responsabilidade de quem faz. Ninguém deveria deduzir o risco de uma mulher se arrepender do procedimento, isso é escolha e responsabilidade dela.

CORREÇÃO DO TEXTO ESCRITO:"o Brasil, a esterilização cirúrgica está regulamentada por meio da Lei nº 9.263/96 que trata do planejamento familiar a qual estabelece no seu artigo 10 os critérios e as condições obrigatórias para a sua execução.De acordo com a referida Lei, somente é permitida a esterilização voluntária nas seguintes situações:I – em homens ou mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos..."RESSALTANDO: "MAIORES DE 25 ANOS DE IDADE OU..." (