Mastite: conheça as causas e o tratamento

Fernanda Lima
Inflamação na mama atinge 10% das mães e geralmente é causada por bactérias ou vírus provenientes da boca do bebê durante a amamentação

Amamentação pode causar mastite, uma infecção causada por vírus e bactérias na boca do bebê.


Sentir a mama inchada, vermelha e dolorida pode ser sinal de mastite, um processo inflamatório – geralmente acompanhado de uma infecção bacteriana, que se instala nos tecidos da mama. A inflamação ocorre, na maioria das vezes, no período da amamentação, mas também pode ocorrer em outras fases da vida da mulher, através de feridas no mamilo ou piercings, por exemplo.

Segundo a Dra. Mariana Rosário, ginecologista da rede de centros médicos Dr. Consulta, a mastite atinge 10% das mães e é comumente causada por bactérias ou vírus provenientes da boca do bebê. “O agente mais comum causador de mastites em pacientes em período de lactação é o staphylococcus aureus (cerca de 50% dos casos)”, explica a médica.

Além dos sintomas já descritos, a mastite também pode causar dores no corpo, febre alta e até pus ou sangue no bico do seio, e pode ser preciso, inclusive, suspender a amamentação. “Se não houver pus, a amamentação deve continuar, pois melhora o esvaziamento da mama, evitando piora do quadro”, sugere a especialista.

Como tratar a com mastite?

É importante ficar alerta para os sintomas da inflamação. Ao menor sinal, é importante procurar um especialista para analisar o caso evitando possíveis complicações. Se a mastite é diagnosticada, o tratamento consiste na ingestão de antibióticos específicos e de medicamentos sintomáticos (analgésicos e antitérmicos). 

De acordo com a Dra. Mariana, em alguns casos há necessidade de tratamento invasivo por punção dos pontos de flutuação (pus) e, em casos mais graves, intervenção cirúrgica para drenagem do abscesso. 

Para mastites menos complicadas, a recuperação pode levar de 3 a 4 dias com o uso de antibiótico. Já as complicadas, com abscesso, podem demorar até 10 dias para melhorar. “Não podemos esquecer que a imunidade da paciente está diretamente relacionada a resposta do tratamento”, esclarece Mariana.

É possível prevenir a mastite?

Segundo a ginecologista, sim. A dica é preparar a mama durante a gestação com massagem e esfoliação, para evitar rachaduras, que é por onde ocorre a penetração das bactérias, causando a infecção. “Pacientes tabagistas tem maior risco de apresentar mastites fora do período de amamentação”, alerta a médica.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto