Conheça os prós e contras da injeção anticoncepcional

Etiene Resende

Prática, injeção anticoncepcional pode ser tomada a cada 30 ou 90 dias

Uma das vantagens deste método é o fato de não correr o risco de ficar desprotegida pelo esquecimento. © iStockphoto.com


Em dias cada vez mais corridos, nos quais as mulheres devem se preocupar com inúmeras coisas ao mesmo tempo, lembrar-se de tomar a pílula diariamente pode ser uma tarefa difícil. Acontece que isso pode trazer sérios problemas, entre eles o aumento das chances de uma gravidez não planejada. Nestes casos a injeção anticoncepcional pode ser uma ótima opção.

O ginecologista Andrei de Farias explica que o contraceptivo injetável pode ser tomado mensalmente ou trimestralmente, facilitando muito a vida das mulheres. “O mensal é feito à base de uma combinação dos hormônios estrógenos e progestágenos, enquanto o trimestral tem como propriedade a progesterona (acetato de medroxiprogesterona)”.

Com estes hormônios em ação no corpo da mulher, a ovulação não acontece. "Os hormônios são responsáveis também por engrossarem o muco do colo do útero, o que impede a passagem dos espermatozoides e aumenta ainda mais a eficácia do método”, reforça o ginecologista.

Como funciona?

O especialista explica que tanto a injeção anticoncepcional mensal quanto a trimestral devem ser aplicadas por via intramuscular, de preferência nos glúteos, sempre entre o primeiro e o quinto dia do ciclo menstrual. “Importante lembrar que este ciclo tem início sempre no primeiro dia da menstruação e que não observar a data certa de aplicação pode levar à falha da proteção”, alerta.

No caso da injeção anticoncepcional mensal, as aplicações devem ser feitas a cada 30 dias, sempre com a indicação de um médico especialista. “É o ginecologista que poderá analisar cada caso e orientar da melhor forma a mulher, para que tudo ocorra de maneira a aumentar a eficácia da proteção”, afirma Farias.

As mesmas orientações servem também para a injeção trimestral, com a diferença de que a aplicação ocorrerá a cada 90 dias. “Nos dois casos é importante que a mulher não massageie nem faça compressa de água quente no local da aplicação (caso fique dolorido), pois isso pode prejudicar a ação do contraceptivo”, reforça o ginecologista.

Vantagens da injeção anticoncepcional

De acordo com o especialista, entre as principais vantagens da injeção anticoncepcional, tanto a mensal quanto a trimestral, está a comodidade de não ter que se preocupar em tomar as pílulas diariamente. O ginecologista indica ainda outros pontos positivos do método:

  • É o mais indicado para as mulheres que precisam tomar outros medicamentos de uso contínuo;
  • Pode ser a solução para quem apresenta intolerância à pílula ou outros métodos contraceptivos;
  • Contribui para a redução das famosas cólicas menstruais e outros sintomas comuns deste período;
  • Ajuda no combate a anemia, uma vez que estimula a produção de glóbulos vermelhos;
  • É vista por muitos especialista como uma aliada no combate contra doenças mamárias, o câncer de endométrio ou no ovário, cistos e miomas uterinos, bem como doenças inflamatórias pélvicas.

Desvantagens da injeção anticoncepcional

Já em relação aos pontos negativos, Farias destaca alguns efeitos colaterais. “Podem ocorrer alterações no ciclo menstrual que podem ir desde o excesso de sangramento até mesmo à ausência completa de menstruação (amenorreia)”. O especialista aponta ainda outras desvantagens:

  • Pode provocar dor de cabeça, nos seios e nas pernas;
  • Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis;
  • Pode causar retenção de líquidos (o que leva muitas mulheres a queixarem de ganho de peso por causa da injeção);
  • Em alguns casos pode aumentar os riscos de se desenvolver doenças cardiovasculares (sobretudo em mulheres fumantes);
  • Não pode ser tomada no período de amamentação;
  • perda da capacidade fértil por um período entre seis meses e um ano após a suspensão do uso.

“O melhor é que a mulher procure seu ginecologista e converse com ele sobre qual método seria o mais indicado para o seu caso. Assim será possível reduzir as chances de gravidez e reduzir os efeitos colaterais com o melhor método”, conclui Farias.

Confira no vídeo abaixo as respostas às principais dúvidas referente ao contraceptivos injetáveis:

 

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto