Camisinha feminina: nós testamos para dar dicas reais sobre sua utilização

Ana Paula Cardoso

Experimentamos este método contraceptivo ainda pouco usado,  e contamos os prós e contras da camisinha feminina durante a relação sexual

Camisinha feminina: maior vantagem é dar poder às mulheres na proteção contra DSTs.


O poder de proteção na mão das mulheres. Esse é sem sombra de dúvida um dos maiores apelos para incentivar o uso da camisinha feminina. Além de sua função contraceptiva, o método ainda protege contra grande parte das chamadas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Mas se é assim tão positiva, por que ainda é menos usada do que a camisinha masculina?

Para responder a esta questão quase enigmática, A Revista da Mulher não se contentou em ouvir apenas especialistas. Resolvemos ouvir mulheres que a utilizam. Como houve grande dificuldades em encontrar alguma mulher que a tivera experimentado, o  jeito foi testar por nossa conta. E a repórter que vos escreve foi a campo.

O que é a camisinha feminina?

Camisinha feminina: deve ser introduzida na vagina com a abertura para fora do canal vaginal.


Como nem todas as mulheres conhecem, convém explicar que o preservativo feminino é uma "bolsinha", em geral feita de poliuretano, e não látex, com um anel flexível em cada uma das extremidades. A parte que fica para fora é aberta, e a parte de dentro fechada.

O preservativo precisa ser introduzido dentro da vagina e vai envolver o pênis no momento da penetração. A camisinha feminina pode ser colocada várias horas antes da relação sexual, mas deve ser trocada a cada ejaculação.

Sua colocação não chega a ser difícil. O método é similar à introdução do diafragma. Mas, talvez pela a falta de hábito, o processo torna-se ligeiramente desconfortável... e as mulheres acabam desistindo de usá-la.

Falta de contato com a lubrificação

Segundo o Dr. Marino Pravatto Júnior, ginecologista e especialista em sexualidade, percebe-se uma reclamação frequente, das mulheres em seu consultório, sobre a qualidade da vivência  sexual com o uso da camisinha feminina. 

A falta de contato com a  lubrificação, se a camisinha feminina é colocada antes das preliminares, é a queixa mais frequente. Na prática, de fato, isto limita o prazer, tanto do sexo oral quanto da estimulação do clitóris com os dedos. 

"O  objetivo de dar maior poder para a proteção e contracepção às mulheres é um ponto positivo da camisinha feminina. Mas a dificuldade da concretização do método coloca em cheque sua utilização e acaba sendo a última opção delas", relata o ginecologista.
 

Modo de introduzir a camisinha feminina.


Vantagens e desvantagens da camisinha feminina

Relatamos a seguir os pontos favoráveis e desfavoráveis da camisinha feminina.

Vantagens

  • O preservativo feminino não exige receita médica e até é distribuído gratuitamente em postos de saúde;
  • Além de seu caráter contraceptivo é,  junto com o preservativo masculino, a única proteção contra DSTs (doenças sexualmente transmissíveis);
  • Ele pode ser usado sozinho ou em adição ao outro método de contracepção, como a pílula, DIU etc. Mas não se deve usar em conjunto com um preservativo masculino;
  • Material de alta durabilidade, sem risco de romper;
  • Ao contrário do preservativo masculino, ele não exige que o homem retire o pênis da vagina logo após ejacular;
  • A mulher a põe sem ter interferência do homem;
  • Retém o esperma e não escorre, ficando retido no fundo do preservativo, como na camisinha normal masculina;
  • Sai facilmente;
  • Como pode ser colocada bem antes da relação sexual, a mulher já pode sair de casa com a camisinha feminina quando vai a um encontro.

Desvantagens 

  • Para garantir que o pênis entre exatamente na abertura da camisinha feminina, é preciso segurar a 'entrada' para o preservativo não sair do lugar. Tarefa quase impossível em algumas posições sexuais, como "de quatro", por exemplo;
  • A lubrificação vaginal fica retida, porque o preservativo feminino cobre todo o canal vaginal por dentro, justamente o condutor da lubrificação feminina. Ou seja, o estímulo na vagina com mãos e língua não pode contar com a umidade natural da excitação;
  • O companheiro também sentiu mais limitações em relação à lubrificação. "Quando uso a camisinha masculina a lubrificação da mulher fica mais perceptível porque faz deslizar. Com a camisinha feminina, mesmo com o pênis nu, a sensação foi estranha. Tive menos sensibilidade do que com o preservativo do pênis", relatou o parceiro de "teste".

Copyright foto: iStock e reprodução da embalagem do produto

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto