Absorvente interno: aprenda (de vez!) a usá-lo corretamente

Fernanda Lima

Ginecologistas ensinam como o absorvente interno deve ser colocado, como escolher o tamanho certo e riscos que a falta de higiene podem propiciar 

Saiba como usar o absorvente interno corretamente. © iStockphoto.com/gpointstudio


Bastante prático, o absorvente interno apresenta muitas avantagens. Além de ser mais discreto que o absorvente comum e menos incômodo, é de grande ajuda quando se quer aproveitar a praia e piscina mesmo no período menstrual

Apesar dessas qualidades, sempre surgem dúvidas quando ao modo correto de utilizá-lo, se o uso apresenta riscos, entre outras questões. Para esclarecer todas as dúvidas de uma vez por todas, A Revista da Mulher conversou com especialistas que explicaram tudo para a gente.

Como usar o absorvente interno?

Antes de colocar o absorvente íntimo, Dra. Tânia Guedes, ginecologista da Clinica Fares, afirma que é essencial lavar bem as mãos com água e sabonete. A especialista explica detalhadamente como inserir corretamente o absorvente na vagina:

  1. Primeiramente é necessário encontrar uma posição confortável para colocá-lo. As mais usadas são: deitada com as pernas flexionadas, sentada no vaso sanitário, de cócoras, ou em pé com uma perna apoiada no vaso sanitário. 
  2. Após a escolha da posição, deve-se retirar o plástico que protege o absorvente e segurar o fio na palma da mão com o dedo mínimo. 
  3. Depois, deve-se segurar o absorvente com o polegar e dedo médio e apoiar o dedo indicador na sua base (a região de onde sai o fio). Com a outra mão entreabrir os pequenos lábios e introduzir lentamente o absorvente.
  4. Quando ele estiver todo dentro da vagina, empurrar suavemente até sentir que o absorvente atingiu um obstáculo.
  5. Por fim, retire o dedo indicador e verifique se o fio está saindo para fora da vagina.

Após a colocação, é importante saber se ele está bem encaixado. "Caso após a aplicação exista algum desconforto, tente introduzir o dedo indicador e empurrar o absorvente um pouco mais para o interior da vagina. Se ainda assim o desconforto persistir, retire o absorvente e introduza um novo, utilizando toda a técnica apresentada anteriormente”, sugere.

Para retirar o absorvente, basta puxar com suavidade o fio que fica fora da vagina. Se ele se soltar ou ficar dentro da vagina, é possível introduzir o dedo indicador na vagina, localizando o fio e puxando para fora. Se a mulher não conseguir realizar esta manobra deve procurar imediatamente o Serviço de Saúde para a retirada do absorvente, que não ficar no corpo por mais 6 horas.


LEIA TAMBÉM

10 mitos e verdades sobre absorventes

Coletor menstrual conquista mulheres que querem se livrar do absorvente

Calcinha absorvente: chega ao mercado a primeira marca brasileira
 

Como escolher o tamanho certo?

Segundo Domingos Mantelli, ginecologista, cada mulher avalia o tamanho do absorvente interno de acordo com a quantidade de fluxo menstrual. "Caso o fluxo seja intenso, o ideal seria usar o tamanho super. Caso contrário, usar os que possuam dimensões menores”, explica. 

Tânia destaca ainda que na hora de escolher o tamanho, também é importante procurar aquele que tem a capacidade de absorver o fluxo até 4 horas. Uma dica é iniciar com os menores tamanhos e adequar às características individuais. "Utilize um absorvente maior nos dias em que o fluxo é mais intenso e um absorvente menor nos dias em que o fluxo diminui de volume”, sugere.

O absorvente interno pode trazer riscos?

Odores desagradáveis, alergias e a proliferação de bactérias podem surgir com o uso inadequado do absorvente interno. Além disso, existe o risco de lesão das paredes vaginais e até infecção, mas a ginecologista frisa que estes riscos são mínimos quando a utilização do absorvente é correta.

"Para diminuir estes riscos os cuidados de higiene são fundamentais, sendo o principal a higiene das mãos. Outro cuidado já citado é a utilização de um absorvente com tamanho adequado ao corpo da paciente e ao volume de fluxo. A presença de lesões das paredes vaginais propicia a entrada de microorganismos que podem levar à infecções disseminadas. Também evite ficar com o absorvente por um período maior do que 4 horas. O tempo máximo recomendado são 6 horas”, lembra a especialista.

O risco de vazamento, um dos mais temidos pelas mulheres, também pode ser evitado justamente escolhendo o absorvente interno mais adequado à quantidade de fluxo menstrual. Dormir com o absorvente também não é recomendado. Já o risco de romper o hímen é inexistente, lembra Domingos. 

A partir de que idade está liberado o uso de absorvente interno?

Segundo Dra. Guedes, não existe uma idade mínima para a sua utilização. Ela deve ocorrer quando a mulher se sentir confortável e segura para utilizá-lo. "É importante o conhecimento adequado do corpo e da região genital para que a utilização do absorvente interno aconteça de maneira segura. Para adolescentes é recomendável procurar o ginecologista que irá orientá-la quanto aos riscos, benefícios e formas de colocação”, finaliza. 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto