Histeroscopia: saiba mais sobre o exame

Daniel Navas

Importante no diagnóstico de várias doenças, o exame pode detectar lesões e deformidades no útero 

A histeroscopia pode detectar lesões dentro da cavidade uterina. © iStockphoto.com/YakobchukOlena


A histeroscopia é um exame que avalia cavidade intrauterina e o canal cervical com o objetivo de verificar a presença de possíveis doenças, como pólipo, mioma, espessamento endometrial – que pode estar associado a sangramento vaginal pós-menopausa –, aumento do fluxo menstrual ou infertilidade. 

“Há dois tipos de histeroscopia: diagnóstica e cirúrgica. A primeira é feita ambulatorialmente, sem anestesia e consiste na investigação da cavidade uterina e biópsias, quando necessárias. Já a histeroscopia cirúrgica é hospitalar, com internação, feita com o uso de anestesia e permite o diagnóstico e o tratamento da doença no mesmo momento”, esclarece Anna Luiza Lobão, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

A histeroscopia é importante para a saúde feminina uma vez que ajuda a chegar ao diagnóstico preciso de doenças endometriais, permitindo o tratamento direcionado.

“Isto é muito primordial, principalmente nos casos de câncer de endométrio, pois permite que a paciente seja submetida à terapia correta e completa”, acrescenta a ginecologista.

Quando fazer o exame?

A histeroscopia detecta lesões dentro da cavidade uterina ou a ausência desses danos. “Além disso, o exame é capaz de encontrar deformidades, como más formações uterinas, tumores e também as diversas alterações do endométrio (tecido que reveste a cavidade uterina e que se modifica conforme a fase do ciclo menstrual)”, explica Patrícia De Luca, ginecologista do Fleury Medicina e Saúde, em São Paulo.

A histeroscopia é prescrita a mulheres que estejam em investigação de infertilidade, hemorragias vaginais, ou abortamento de repetição. “O exame também deve ser feito por mulheres que serão submetidas a fertilização in vitro”, aponta Anna Luiza.

Não há periodicidade para a realização da histeroscopia. De acordo com Flavia Tarabini, ginecologista da clínica Dr. André Braz, no Rio de Janeiro, o exame somente é feito quando houver suspeita de anormalidades na cavidade uterina para diagnóstico e tratamento.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto