2 meses de gravidez: tudo se acelera

Bruna de França
É o verdadeiro início da gravidez. Tudo aquilo com que muitas mulheres sonham - a emoção, o crescimento do bebê - acontece. Mas também tudo o que muitas temem - cansaço, ansiedade, enjoos... 

O segundo mês de gravidez pode vir acompanhado de náusea e cansaço.


Mudanças na mamãe no 2º mês de gravidez

O segundo mês, que começa com a quinta semana de gestação, é acompanhado de inúmeros fatores desagradáveis. É claro que isso varia em quantidade e intensidade de mulher para mulher. Então, caso tenha a felicidade de sentir-se fisicamente bem, aproveite e não se preocupe, pois isso também é normal. 

A maioria das mulheres grávidas tem problemas digestivos, pois seus órgãos estão funcionando em marcha lenta. Isso pode provocar náuseas, vômitos, salivação excessiva, aerofagia, queimação e prisão de ventre. A solução é adaptar os hábitos alimentares. Ou seja, privilegiar alimentos ricos em fibras em lugar dos ricos em gorduras e de difícil digestão.

É possível que algumas acabem até mesmo perdendo um ou dois quilos. Mas não é preciso se preocupar, o organismo, neste caso, aciona suas reservas. Se a situação não melhorar, é preciso conversar com o médico para que ele prescreva, se julgar necessário, um tratamento adaptado. 

Outra preocupação possível durante esse mês é a sensação de pernas pesadas devido a uma má circulação do sangue, e também formigamentos e/ou câimbras nos braços e pernas. O remédio: se mexer! Se a prática de uma atividade física leve não for suficiente, fale com seu médico sobre isso, talvez seja falta de vitamina B ou de magnésio. Tente também dormir com os pés ligeiramente elevados. 

É possível igualmente que as futuras mamães se sintam cansadas por esses dias. Neste caso, não pense duas vezes em diminuir o ritmo. Não é o momento de fazer horas extras no escritório, ou de ajudar uma amiga a mudar de casa! No seu tempo livre priorize atividades calmas e faça uma sesta quando sentir necessidade. Seu bem-estar depende disso, bem como o do bebê. Vale lembrar também que a falta de ferro pode estar na origem de uma baixa vitalidade persistente. Uma suplementação é frequentemente recomendada durante esse período.

Mudanças visíveis se dão também nesse mês. Os seios desenvolvem-se, tubérculos de Montgomery (pequenas saliências) aparecem em torno das auréolas, que aumentam. As veias tornam-se mais aparentes. No rosto podem aparecer melasmas. Essas placas pigmentadas não são constantes e dependem do estado hormonal de cada mulher. Única instrução: protegê-las do sol com um protetor solar com um fator acima de 30. 

Por fim, não se deixe levar pelo medo do aborto espontâneo. É fato que o primeiro trimestre representa um período de risco, mas se você cuidar de sua saúde e conhecer os sinais de alerta (dores significativas e persistentes no baixo-ventre e/ou perdas de sangue), tudo vai dar certo. Em caso de dúvida, pergunte a opinião de seu ginecologista, que saberá tranquilizá-la. 

É importante lembrar que um corrimento abundante não deve preocupá-la: é um fenômeno frequente e sem consequências danosas. Quanto às sensações de alfinetadas e ardências na região íntima, elas revelam provavelmente a aparição de uma micose, o que é comum durante a gravidez e poderá ser tratada facilmente.

O bebê no 2º mês de gravidez

O bebê continua a crescer rapidamente. Ele passa de 5 mm a 3 cm. Seu peso dobra: ele ganha no mínimo um grama em um mês. Cartilagens formam-se em seus braços e pernas. Seu rosto desenha-se aproximadamente durante a e a 7ª semanas de gravidez: a boca e o nariz formam uma abertura única, insinuam-se as orelhas e os olhos (o nervo óptico é formado), uma pequena língua aparece, crescem as bases dos dentes, uma pele fina e transparente recobre o feto. 

Sua cabeça é bem maior que seu corpinho. Seu cérebro constitui-se. O bebê começa a mexer-se, mesmo se seus movimentos são puramente reflexos. Seu coração dobrou de volume. Seus dedos separam-se para formar os pés e as mãos. O canal do reto e o canal da uretra assumem seus lugares. 

Na verdade, ao final do 2º mês, ou na 8ª semana de gravidez, o embrião é uma versão miniatura do bebê. O que virá a seguir será o crescimento e a maturação do corpo, mas a partir de agora tudo já está “criado”.

No 2º mês de gravidez, é hora de…

Cuidar de si mesma

As mudanças físicas podem incomodar as futuras mamães. Sem contar os males que perturbam o cotidiano, o cansaço e a hiperemotividade (devido à desordem hormonal) constantes. 

Para remediar a “bad do 2º mês”, presenteie-se com bons momentos! Tire uma tarde para passear num local próximo à natureza, almoçar leve ao ar livre e dar uma passada na perfumaria ou farmácia para comprar um creme de hidratação profunda para um efeito rejuvenescedor e um produto para prevenir estrias. Por fim, vá a lojas de lingeries para se dar de presente um novo sutiã adaptado a suas formas voluptuosas. 

Praticar regularmente um esporte leve (natação, caminhada, ioga…) ou desfrutar de uma massagem uma vez por semana pode fazer parte do programa. Isso contribuirá para mantê-la em forma e tonificar seu corpo, mas também ajudará você a relaxar. 

Informar-se sobre o parto

Muitas talvez já se perguntam como será o dia D. Para não sofrer de ansiedade e apreensão, busque informações desde já sobre cursos de preparo para o nascimento do bebê. Assim você estará segura em relação a todos os aspectos práticos e médicos durante a estadia na maternidade. 

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto