7 meses de gestação: o bebê já está apto à viver fora do útero

Bruna de França
O bebê está crescendo tão rápido que falta espaço para ele se mexer! Como a barriga da mamãe está cada vez maior, isso é um alívio e bom tanto para bem-estar da gestante, quanto para o bom desenvolvimento do bebê

Com 40 cm e mais de 1kg, o bebê tem cada vez menos espaço para se movimentar.


Mudanças na mamãe no 7º mês de gravidez

Com 7 meses de gestação, as futuras mamães sentem o quanto uma gravidez pode ser cansativa. Neste período, as grávidas já ganharam cerca de  7 quilos e se sentem exauridas ao mínimo esforço. 

É difícil encontrar uma boa posição para dormir, sobretudo porque os pequenos incômodos acentuam-se: pernas pesadas, varizes, estrias, hemorroidas, cansaço, barriga dura, desordens digestivas... O útero atinge a altura do tórax e comprime os outros órgãos, o que certamente não é muito agradável. 

O bebê no 7º mês de gravidez

Aos 7 meses de gestação o bebê está apto à vida. Ele engole bastante líquido amniótico, desenvolve seu paladar e seu corpo toma forma. Ao final do sétimo mês ele deve pesar um quilo e meio e medir por volta de 40 cm. O que explica porque a mamãe sente que ele mexe menos. Sim, lhe falta espaço! Mas nem por isso ele está intelectualmente menos ativo. O bebê escuta com atenção a voz da futura mãe e a dos outros, bem como músicas. 

Seus movimentos respiratórios e sua temperatura interna regulam-se, seus nervos são recobertos por uma bainha (a mielina). É a última etapa de maturação do cérebro e ela durará 20 anos. A grande novidade do sétimo mês é que seus olhos estão abertos. Ele pode agora acompanhar com os olhos uma fonte de luz próxima à barriga. Seu sistema digestivo e seus rins funcionam, suas unhas crescem, ele logo terá todas as armas para enfrentar o mundo exterior.

Será preciso ainda esperar dois meses para que, entre outras coisas, ele perca os longos e finos pelos que recobrem seu corpo, chamados de lanugo. Seus órgãos sexuais desenvolvem-se: se for um menino, seus testículos descerão ao escroto, se for uma menina, as ovogônias se transformarão em ovócitos.
 

No 7º mês de gravidez, é hora de…

Cuidar de sua saúde

Agora você já está acostumada às consultas da gravidez. Nesse mês nada muda, mesmos exames, mesmos sintomas desagradáveis, mesmos tratamentos. 

Avise seu médico em caso de infecção, mesmo que benigna, pois isso pode causar um parto prematuro. Beba bastante água e invista nos alimentos ricos em ferro para evitar a carência desse nutriente, o que é frequente nesse período. E lembre-se de guardar bem todos os resultados de exames, pois eles serão necessários para internação na maternidade. Caso você não os tenha em mãos terá que refazer os exames no hospital.
                                                                                                   

Descansar

É possível que seu médico insista - e ele tem toda a razão - na importância do descanso nesse momento. Tanto é que várias mulheres param de trabalhar no 7º mês de gravidez. Então não se sinta culpada em reduzir seus horários de trabalho e atividades, pegar um táxi ao invés do ônibus, pedir ajuda para as tarefas domésticas, as compras e todo o resto. 

Resumindo, escute seu corpo durante a 28ª, a 29ª e a 30ª semanas de gravidez. É ele, e só ele, que será capaz de dizer quanta energia você ainda tem. Para diminuir os riscos de um parto prematuro, evite ficar em pé por períodos muito longos, carregar objetos pesados (não é hora de montar o quarto do bebê), trajetos cansativos, atividade física (a não ser uma ginástica leve) e, sobretudo, um ritmo de vida estressante.

Saber reconhecer os sinais de parto

Veja a lista de alguns sintomas que antecedem o parto:
  • Dor nas costas, próximo ao lombar. É um dos primeiros sintomas que a hora do parto está se aproximando.
  • Perda do tampão, um muco com um pouco de sangue. É ele quem bloqueia o colo do útero, porém sua perda pode ocorrer cerca de 2 semanas antes do dia do parto ou horas antes.
  • Rompimento da bolsa. Isso ocorre apenas com cerca de 10% das mulheres.
  • Sensação de poder respirar fundo novamente. Acontece quando a cabeça do bebê se encaixa na pélvis e o feto desce, aliviando a pressão sobre as costelas e pulmões.
  • Urina rosada. Algumas mulheres notam a mudança na coloração da urina.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto