O bebê de 1 mês

Bruna de França
Neste primeiro mês, o papai e a mamãe vão conhecendo aos poucos o mais novo integrante da família. E se este é o primeiro filho do casal, muitas dúvidas e questões surgem ao longo das primeiras semanas. Veja algumas respostas e alguns conselhos

Já nas primeiras semanas de vida, deve ser realizada a primeira consulta com o pediatra.


O sono

Durante as primeiras semanas de vida, esta é a principal atividade do recém-nascido, que dorme entre 16 e 20 horas por dia. O sono é, aliás, essencial ao bom desenvolvimento do bebê pois é nesta hora que ele secreta o hormônio do crescimento e desenvolve o cérebro. 

No recém-nascido, o sono e a fome estão muito associados. A criança acorda para mamar e dorme rapidamente, uma vez saciada. Do ponto de vista biológico, uma criança pode ficar sem comer várias horas – uma noite – quando atinge seis quilos. Seu ritmo vai, então, evoluir e, aos poucos, ela verá a diferença entre o dia e a noite.

No começo, os pais frequentemente se perguntam se o bebê deve dormir com eles ou em seu próprio quarto. Nas primeiras semanas, quando o recém-nascido chora à noite, pode ser mais prático que ele divida o quarto com os pais. Em contrapartida, uma vez que o ritmo dele está mais definido, é necessário que cada um tenha alguma privacidade. O bebê precisa, então, de um lugar que seja só dele. 

A alimentação

Com o sono, mamar é uma das principais atividades do recém-nascido. Uma das perguntas mais comuns entre jovens casais é saber com que frequência a criança deve comer. Quer a mãe tenha escolhido dar o peito ou oferecer a mamadeira, é preciso, no começo, alimentar a criança assim que ela pedir, isto é, a cada três ou quatro horas, mais ou menos. Aos poucos, as mamadas se espaçarão e a criança encontrará seu próprio ritmo.

Da mesma forma, confie no seu bebê no que diz respeito à quantidade. É possível que ele tenha mais ou menos fome de acordo com o dia e o momento.

Indiferente se o bebê mama no peito ou na mamadeira, a refeição é sempre um momento especial. Assim, é importante escolher um lugar calmo e não se distrair. Fique atenta às reações do seu filho. 

Por fim, algumas crianças precisam arrotar durante ou no fim da refeição. Isso diz mais respeito às crianças que tomam mamadeira, pois elas engolem mais ar. Também neste caso, confie no seu bebê e saiba que não há drama algum se ele não arrotar. 

Os cuidados

O banho do recém-nascido deve ser um momento de relaxamento. A primeira regra é de ter tudo à mão: toalhas, roupa limpa e produtos de higiene.

Saiba que os sabonetes neutros sem perfume são mais adaptados à pele do recém-nascido. Inútil usar xampu nos primeiros meses, o sabonete basta. A água do banho deve estar a 37°C. O mais simples, no começo, é lavá-lo sobre o trocador. Uma vez que o ensaboou, coloque-o na água. Sustente a nuca com uma das mãos e enxague com a outra. Converse com ele durante o banho, isso vai tranquilizá-lo. 

Saiba que o banho da noite pode ajudar o bebê a dormir. Além disso, este deve ser um momento de descontração, portanto, faça isso quando tiver algum tempo para se dedicar à tarefa. Por fim, por medida de segurança, nunca deixe seu filho sozinho no banho.

Dentre os cuidados a tomar ao sair da maternidade, há aqueles relativos ao cordão umbilical. Este seca antes de cair, ao cabo de uma semana, mais ou menos. O banho e a aplicação de álcool 70%, facilitam o ressecamento e a cicatrização. 

Como a pele dele é muito frágil, o recém-nascido deve ser trocado assim que houver a necessidade. As fezes e a urina podem provocar irritações. Neste caso, aplique algum creme apropriado para acalmar a área. 
Alguns bebês têm as unhas compridas muito rapidamente. Enquanto ele não se arranhar, é inútil mexer. Se, no entanto, isso provocar pequenos ferimentos, corte as unhas com a ajuda de tesourinhas ou utilize uma lixa de papel. Aproveite para fazer isso quando ele estiver dormindo, assim, ele não vai se mexer muito e você não corre o risco de machucá-lo. 

A saúde

Desde o nascimento, fazem-se exames para acompanhar a saúde do bebê. Assim, ele será pesado e medido a cada consulta no pediatra. A evolução do peso, do crescimento e do perímetro craniano é prova do seu bom desenvolvimento. Após o nascimento, o bebê perde 5 a 10% do peso, que ele deve normalmente recuperar nos quinze dias seguintes. Os recém-nascidos podem ganhar até 200 gramas e um centímetro por semana.

A primeira consulta com o pediatra deve ser realizada o mais cedo possível. Uma avaliação médica deve ser feita antes do final do primeiro mês com o objetivo de avaliar o crescimento do bebê. É hora também de fazer todas as perguntas que quiser ao médico. Não hesite em fazer uma lista antes da visita médica, para não esquecer nada. 

Ao nascer, o bebê toma as seguintes vacinas:
  • Dose única de BCG-ID: contra formas graves de tuberculose;
  • 1ª. Dose de Hepatite B.

O desenvolvimento do bebê

Alguns sentidos estão bem apurados desde o nascimento, às vezes até antes. É o caso da audição: o bebê ouve o que acontece à sua volta desde o quinto mês de gravidez. Ele reconhece, é claro, a voz da mãe, mas também a do pai. O bebê também aprecia a música, principalmente a clássica. Em contrapartida, ele detesta sons muito altos ou agressivos. 

O paladar também está formado e o bebê tem suas preferências desde cedo. Assim que nasce, ele parece preferir o doce ao salgado. Crianças que mamam no peito descobrem regularmente novos sabores, pois o leite da mãe muda de gosto de acordo com o que ela come. Por outro lado, saiba que o colostro tem sabor parecido com o líquido amniótico. É por isso que o bebê se acostuma muito rápido ao leite materno, enquanto precisa de alguns dias para aprender a gostar do leite em pó. 

No entanto, a visão é menos desenvolvida. No começo, o bebê é atraído principalmente pelos contrastes e as cores vivas. Além disso, ele vê apenas o que se encontra perto dele, a cerca de 20 centímetros. Daí o interesse em instalar um móbile colorido em cima do bercinho dele.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto