Cólicas na gravidez: entenda as causas e saiba como evitar

Etiene Resende
Comuns na gestação, as cólicas conseguem literalmente tirar os sonos das mamães e geram desconforto

As cólicas são comuns na gravidez, mas podem ser evitadas.


Se o período da gravidez é considerado como um dos momentos de maior realização da mulher, isso não exime as futuras mamães de alguns incômodos que praticamente fazem parte da gestação. É o caso das cólicas, que são muito comuns e geram enorme desconforto.

Para o ginecologista especialista em medicina reprodutiva Bruno Ramalho de Carvalho as cólicas são um tipo de queixa comum entre as grávidas. Entretanto ainda não se sabe ao certo o que provoca o incômodo nos primeiros meses da gravidez. “Instintivamente, associamos as cólicas às mudanças de posicionamento dos órgãos pélvicos e ao crescimento uterino, que pode tracionar algumas estruturas e comprimir outras”, explica. 

Outras causas para as cólicas na gravidez

O ginecologista ressalta que, ao longo de toda a gravidez, as cólicas podem estar associadas também a varizes pélvicas (dilatação das veias que ladeiam o útero), infecções urinárias ou a mudanças no padrão de contratilidade intestinal. Neste último caso, podem estar associadas à prisão de ventre a acúmulo de gases. 

No fim da gravidez, as cólicas podem ser ocasionadas pelas contrações de treinamento (tecnicamente, contrações de Braxton-Hicks) ou, até mesmo, ser resultado de contraturas musculares abdominais ou do relaxamento das articulações da pelve”, destaca.

Pode indicar outros problemas?

Segundo Ramalho, as cólicas, quando preocupantes, normalmente vêm acompanhadas de outros sinais ou sintomas. Entre eles o sangramento vaginal

“Cólicas associadas a sangramento vaginal ou queixas urinárias devem ser prontamente comunicadas ao obstetra assistente. Na segunda metade da gravidez, cólicas associadas a diminuição significativa dos movimentos do bebê ou a perdas líquidas vaginais também podem indicar problemas e devem ser avaliadas”, reforça o especialista.

Como evitar ou amenizar as cólicas na gravidez

Se elas são comuns na gravidez e geralmente não apresentam riscos para a mamãe e o bebê, isso não quer dizer que é preciso seguir com o incômodo. Para o ginecologista, algumas atitudes podem ajudar a amenizar ou até evitar as cólicas.

“O uso de compressas mornas pode aliviar, assim como poderão ser muito úteis também a fisioterapia, acupuntura e atividade física, estas sempre sob supervisão de um especialista”, indica. Ramalho lembra ainda que hábitos alimentares saudáveis favorecem o trânsito intestinal certamente são bem-vindos na gravidez e também podem evitar as cólicas. 

Nos casos mais graves, ainda de acordo com o ginecologista, podem ser necessárias intervenções medicamentosas, com analgésicos e antiespasmódicos, e, eventualmente, laxantes. “Deve-se frisar que medicação somente deve ser adotada com prescrição médica”, alerta.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

2 comentários

Durante a gravidez, é necessário uma cautela na hora de se automedicar. O Buscopan Composto, por exemplo, é contraindicado na Gravidez. Escrevi sobre, p quem se interessar: https://www.drentrega.com.br/bem-estar/dores-e-sintomas/saiba-as-indicacoes-do-buscopan-composto