Enjoo na gravidez: saiba como enfrentar esse incômodo

Ana Paula Cardoso

Muito comum nos primeiro meses de gestação, os enjoos na gravidez podem ser amenizados com dieta e medicamentos

Enjoos na gravidez têm causas tanto hormonais quanto emocionais.


Causa de grande incômodo nas gestantes, os enjoos na gravidez costumam ocorrer principalmente no início da gestação. Embora não sejam muito bem determinadas as causas das náuseas, fatores de ordem tanto patológica quanto emocional podem estar envolvidos.

“Acredita-se que tenha alguma relação com altos níveis hormonais, principalmente do hormônio Bhcg (gonadotrofina coriônica humana) que se encontra bastante elevado no primeiro trimestre de gravidez”, explica a ginecologista do Grupo Perinatal do Rio de Janeiro, Luciana Cima.

Isso explicaria por que as mulheres grávidas de gêmeos têm maior chance de náuseas e vômitos, em função do Bhcg mais elevado. Também essa variação hormonal seria o motivo pelo qual mulheres com mais de uma gestação sofrerem mal-estar em uma gravidez e não na outra.

Causas emocionais de enjoos na gravidez

Segundo a Dra. Luciana Cami, o estado emocional da gestante também pode estar associado à manifestação dos enjoos na gravidez. Os sintomas comumente são de origem hormonal, mas fatores de ordem pisco-comportamental não são descartados.

“A capacidade de cada mulher lidar emocionalmente com a sensação de náuseas, e até mesmo como ela está lidando com a gravidez, podem ser determinantes na evolução do quadro”, reforça a ginecologista da Perinatal.

A boa notícia é que os enjoos na gravidez costumam ter prazo de duração. As náuseas são mais comuns mesmo no primeiro trimestre (geralmente até a 14ª semana, período em que o hormônio Bhcg encontra-se bastante elevado).

“Por vezes podem se estender até a 16ª semana de gestação ou a 18ª semana de gravidez.  E somente numa pequena parcela das pacientes podem durar até o final da gestação”, tranquiliza a Dra. Luciana.

Enjoos são risco para o feto?

Os enjoos na gravidez têm algumas características distintas para cada mulher. Por vezes as gestantes apresentam náuseas sem vômitos, mas os vômitos podem ocorrer também.  

“Chama–se de hiperemese gravídica a condição em que a paciente apresenta vômitos excessivos, muitas vezes necessitando de internação hospitalar”, diz a ginecologista Luciana Cima.

Segundo a médica, as náuseas isoladas não apresentam risco para a gravidez, somente bastante desconforto para a mãe. “Há mulheres que chegam a perder peso durante esse fase por conta da intolerância aos alimentos”, conta a médica.

Dicas para amenizar o enjoo na gravidez

Existem vários medicamentos antieméticos, remédios contra enjoos, que podem sem tomados pela gestante, desde que tenham sido prescritos pelo obstetra.  

“Além da medicação é importante a paciente observar algumas orientações dietéticas. Evitar café, comidas gordurosas e condimentadas são algumas recomendações”, orienta a Dra. Luciana.

Também seguir as seguintes medidas pode ajudar a aliviar os enjoos na gravidez:

  • Coma em intervalos curtos; 
  • Não faça jejum prolongado;
  • Coma sempre em pequenas quantidades;
  • Dê preferência aos alimentos e bebidas frios;
  • Evite aqueles  os alimentos que sabidamente desencadeiam a sensação de náusea (de acordo com cada gestante). 

Soluções alternativas contra enjoos na gravidez

Algumas outras dicas caseiras e sem contraindicação também podem ser eficazes para se enfrentar os enjoos durante a gravidez. “Alimentos e bebidas cítricos costumam ser bem tolerados pela paciente que se encontra nauseada”, afirma a ginecologista Luciana Cima.

Conforma explica a especialistas, a ingestão de gengibre também está relacionada a uma melhora das náuseas, embora não demonstre redução na frequência dos vômitos.  Há ainda as pulseiras antienjoos, encontradas nas farmácias.

“O princípio das pulseiras antienjoos é a acupressão (técnica de pressão sobre pontos energéticos do corpo, usada na acupuntura), e se mostram como métodos complementares de valor no tratamento contra enjoos na gravidez, principalmente em casos refratários”.

A médica reforça, porém, que se  mesmo seguindo as orientações dietéticas a gestante não conseguir se alimentar ou mantiver vômitos constantes, deve-se procurar o obstetra, que vai avaliar a necessidade de internação hospitalar.

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

1 comentário

Conteúdo muito completo e informativo! Também escrevi um artigo sobre náuseas e enjoos aqui: https://www.drentrega.com.br/bem-estar/dores-e-sintomas/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-nauseas-e-enjoos