Homeopatia para grávidas: especialistas orientam sobre tratamentos para gestantes

Ana Paula Cardoso

Medicamentos homeopáticos podem ajudar a enfrentar incômodos comuns à gestação, mas somente com orientação médica

Remédio de homeopatia pode ser tomado por gestante, desde que haja prescrição médica.


Ao receber a notícia que está grávida, é comum as mulheres pensarem nas restrições a serem enfrentadas para não prejudicar o bebê. Mesmo aquele tão usual remedinho para dor de cabeça deixa de ser inocente. Para as futuras mamães em busca de saúde e bem-estar, a homeopatia pode ser a solução.

Mas para começar, é preciso derrubar um mito. Assim como nem todo medicamento alopático faz mal às gestantes, os remédios de homeopatia também não devem ser tomados sem orientação e prescrição médica

De acordo com o médico homeopata Roberto Debski a ideia que gestantes não podem tomar nenhum medicamento durante toda a gestação é errônea. Seja homeopatia ou não, quando a gestante tem uma patologia, é possível partir para um tratamento medicamentoso.

“Cabe ao médico avaliar caso a caso e decidir se será necessário remédio e qual medicamento é indicado -  e possível de ser tomado sem que ocorram efeitos adversos ou prejudiciais ao feto”, orienta o Dr. Debski.

Homeopatia na gravidez: menos riscos

A grosso modo, a homeopatia baseia-se no princípio da  cura da causa e não do sintoma das doenças, através de medicamento à base de substâncias naturais. 

De acordo com o Dicionário de Medicina Natural (Editora Reader’s Digest), os remédios homeopáticos são particularmente apropriados para a gravidez pois são tão diluídos que não causam efeitos colaterais greves.

“A homeopatia, por sua baixa dosagem de princípios ativos, normalmente não oferece riscos à gestante nem ao feto.  Mas, mesmo assim, deve ser prescrita após avaliação por um médico homeopata”, reforça Dr. Debski.

Evite a homeopatia pronta das farmácias

Segundo a médica homeopata Christina Teixeira, a grande maioria das grávidas tratadas com homeopatia são mulheres que já eram pacientes antes da gestação. Mas há também mulheres grávidas que procuram a homeopatia só  por acharem que o remédio homeopata ‘não faz mal’. E o alerta é para a tendência de automedicação.

“Não há nenhum impedimento em começar um tratamento homeopático a partir da gravidez. A questão é que, como a homeopatia trata o todo, um medicamento para enjoo que uma grávida não será o mesmo que  outra vai tomar”, esclarece a Dra. Christina.

A médica explica que um enjoo na gravidez, por exemplo,  pode ser causado por uma série de alterações hormonais, mas também por ansiedade. “Nesse casos, vou receitar um medicamento diferente para cada gestante”, comenta   a médica.

Como na homeopatia pacientes com sintomas semelhantes devem receber medicamentos diferentes, os remédios homeopáticos que vendem em farmácia - como para prisão de ventre ou constipação nasal – não são indicados a gestantes.

“Os medicamentos homeopáticos de venda livre em farmácia muitas vezes contém maior quantidade de princípios ativos e devem ser evitados pelas pacientes gestantes, a não ser que sejam prescritos pelo médico homeopata”, completa o Dr. Debski.

Copyright foto: iStock.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto