Método billings: use o muco cervical como guia para evitar ou conseguir a gravidez

Ana Paula Cardoso

Com a observação do muco, é possível saber qual o melhor dia para a fecundação, ajudando as mulheres a evitar ou favorecer a gravidez

Método billings ajuda a evitar e a estimular a gravidez conhecendo o muco cervical. © iStockphoto.com/KatarzynaBialasiewicz


Assim como a tabelinha, o método billings é uma maneira natural de conhecer qual é o período fértil da mulher. Usado tanto para evitar a gravidez como para favorecer quem quer ter filhos - ao apontar os dias mais adequados à fecundação - o processo consiste na observação da secreção vaginal.  

Para detectar os dias mais prováveis de ovulação, o método billings requer a percepção das alterações do muco cervical ao longo de um determinado tempo. Por meio de sinais do próprio corpo, os dias férteis tornam-se mais evidentes e a mulher pode tanto evitar, quanto favorecer a gravidez.

"Por definição, trata-se de um método contraceptivo natural, que consiste no acompanhamento do ciclo menstrual. O método billings é indicado para mulheres com alergia ao látex do preservativo e àquelas que não podem fazer uso de métodos hormonais", explica o Dr. Thomas Moscovitz, médico especialista em ginecologia e obstetrícia, da clinica Genic.

Como o método billings funciona

Enquanto na tabelinha é preciso anotar, pelo menos durante um ano, os dias de início e fim do ciclo menstrual, para depois fazer contas e chegar a um período mais provável de ovulação, no método billings o que deve ser observado é o líquido que normalmente sai da vagina e sofre variações.

De acordo com o ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana, Dr. Rodrigo da Rosa Filho, o muco cervical pode ser observado logo na entrada da vagina, o que facilita a aplicação desta metologia.

"Este muco indica as alterações hormonais que acontecem no período fértil e serve para quem deseja e quem não deseja engravidar. A mulher deve observar diariamente o muco introduzindo o dedo na entrada da vagina e anotar o dia que há a mudança no padrão do muco", explica o Dr. Rosa Filho.

Como identificar o muco cervical

Em geral, logo após a menstruação, a mulher praticamente não tem secreção natural da vagina. Alguns dias depois, uma secreção opaca e que gruda nos dedos aparece. Estas três situações - ausência de muco, vagina seca e muco cervical grudento - indicam os períodos menos férteis.

No período de ovulação, a secreção vaginal torna-se então mais transparente, viscosa e "elástica", numa consistência semelhante a da clara de ovo crua. Na fase fértil, o muco fica mais fino e claro. 

"Já fora do período fértil,  o muco é espesso e mais esbranquiçado. A ovulação costuma ocorrer de 2 a 3 dias após o aparecimento do muco transparente e fluido", reforça o ginecologista Rodrigo Rosa Filho.

Segundo o médico, a mulher que não quer engravidar deve evitar ter relações sexuais em dias consecutivos (um dia antes ou um dia depois) ao período pré e pós-ovulatório.

"A relação é permitida começando no quarto dia após o último dia do muco pegajoso e úmido", completa o Dr. Rosa Filho. O especialista em reprodução humana reforça ainda que como método contraceptivo, o método billings é pouco eficaz.

"Vai depender muito da mulher conhecer bem as suas alterações, ou seja, a taxa de gravidez é de três em 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada 33)", informa o Dr. Rosa Filhos.

 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto