Quarentena: conheça a importância da abstinência de sexo após o parto

Ana Paula Cardoso

Período, também conhecido como resguardo, é fundamental para evitar complicações para a saúde da mulher

Quarentena: entenda a importância de não ter relações sexuais e repousar depois do parto. © iStockphoto.com/boggy22


A quarentena, também conhecida como resguardo, é o  período em torno de 30 a 40 dias pós-parto no qual o corpo da mulher reverte a maior parte das grandes modificações que sofreu durante a gestação e nascimento do bebê. E a principal restrição é a suspensão total de relações sexuais durante o resguardo, a fim de evitar complicações infecciosas graves.

“Recomenda-se a abstinência sexual primeiramente porque há um risco elevado de quadros infecciosos na mulher, pois o colo do útero ainda está aberto, com o processo de loquiação, associado à imunossupressão da gravidez”, alerta o médico tocoginecologista e obstetra, Dr. Gustavo de Paula Pereira.

Modificações físicas e emocionais após o parto

O médico considera essencial que a mulher entenda o processo que ocorre com seu organismo, para saber a importância de manter-se em quarentena após dar à luz um bebê. O obstetra lista as principais modificações que ocorrem durante os 40 dias recomendados após o parto.

  • o  retorno do útero praticamente ao seu tamanho normal; 
  • o fim da loquiação, que é o sangramento vaginal que a mulher apresenta após o parto; 
  • a reabsorção do edema corporal; 
  • o retorno dos órgãos genitais ao seu estado normal;
  • o fim da imunossupressão natural da gestação. 

“Além disso, se a mulher passou por uma cesariana, episiotomia ou teve que suturar alguma laceração vaginal, nesse período de 40 dias o processo cicatricial já terá acontecido”, reforça o especialista. Ou seja, após o resguardo, não haverá mais risco de ruptura dos pontos, que pote causar infecção, hemorragia ou hérnias.

O Dr. Gustavo de Paula Pereira lembra ainda que, em geral, esses primeiros dias da mãe com o bebê são muito intensos. A mãe pode estar emocionalmente sensível e em um estado de grande cansaço físico.

“Logo, é um período em que ela normalmente não terá um desejo sexual ativo e a tentativa de relação sexual se torna desconfortável e dolorosa. Durante a quarentena, a mulher precisa de muito apoio do companheiro, tanto em suporte emocional, quanto nos cuidados com o recém-nascido”, orienta o tocoginecologista e obstetra.

O que é proibido e permitido durante a quarentena

Conforme já esclarecido pelo Dr. Pereira, a atividade sexual não é recomendada nos primeiros 30 a 40 dias pós-parto. Além disso, a mulher deve evitar esforços físicos intensos, porém não deve permanecer em repouso, acamada, porque isso aumenta o risco de trombose venosa profunda.

Apesar de não ser recomendado que a mãe e o bebê frequentem locais com grandes aglomerações, pelo risco de infecções, a  mulher pode fazer todas as atividades de cuidado do bebê, como carregá-lo, dar banho no filho  e trocá-lo. 

Atividades domésticas, desde que não demandem grande esforço, estão liberadas. A prática de atividade física de intensidade leve e dirigir, se a mulher não passou pela cesariana ou qualquer intervenção cirúrgica, podem ocorrer. No caso da cesárea, é recomendado aguardar os 40 dias.

“A mulher deve se alimentar bem, com dieta equilibrada e saudável, usar roupas confortáveis e tentar, dentro do possível, descansar. Os cuidados de higiene habituais da mulher também estão liberados”, completa o médico.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto