A importância do pré-natal

Fernanda Lima

Saiba quais são os exames indispensáveis que a gestante deve fazer e de quanto em quanto tempo as consultas médicas devem ser realizadas

Ginecologista destaca a importância do pré-natal. © iStock/vadimguzhva


Quando o teste de gravidez dá positivo, a primeira dúvida - principalmente para as mamães de primeira viagem - é: qual o próximo passo? O ideal é procurar um médico ginecologista para iniciar o pré-natal.

Segundo Erica Mantelli, ginecologista e obstetra, o exame é uma medida eficaz para prevenir e identificar problemas de saúde da mamãe e do bebê. médica reforça que um pré-natal bem feito e bem realizado, faz toda a diferença.

"Tanto para a gravidez, quanto para para o parto e como para o pós-parto também. Essa é a hora para tirar dúvidas, esclarecer mitos e explicar sobre os tipos de partos. Além de conferir todas orientações para familiarizar a gestante sobre o que vai acontecer”, explica a ginecologista.

Exames básicos do pré-natal

Logo na primeira consulta, a primeira atitude do médico é solicitar exames que vão garantir que mãe e bebê terão uma gravidez saudável. Segundo a Dr. Erica, estes são alguns dos exames básicos solicitados pelo ginecologista:

  • Grupo sanguíneo;
  • Hemograma;
  • Glicemia;
  • Toxoplasmose;
  • Rubéola;
  • Sífilis;
  • Fezes;
  • Urina;
  • Sorologias;
  • Dosagens hormonais;
  • Avaliação da tireoide;
  • Função renal e hepática;
  • Pesquisa de trombofilia;
  • Ultrassons.

Ainda de acordo com a ginecologista, a realização desses exames permite a avaliação geral do quadro clínico da mulher e do bebê, além de identificar doenças, infecções ou disfunções. A Dra. Erica frisa ainda a importância de colocar a carteira de vacinação em ordem (vacinas contra a gripe, difteria, tétano, coqueluche e hepatite B).

De quanto em quanto tempo devo ir ao médico?

Após a confirmação da gravidez, as consultas do pré-natal devem ser mensais. Já a partir da 32ª semana, as consultas passam a ser quinzenais e, após 37 semanas, é indicado que essas visitas se tornem semanais. "A frequência das consultas podes ser alterada confirme necessidade de cada caso”, esclarece a médica.

As idas periódicas ao médico permitem monitorar o crescimento da barriga e as alterações da pressão sanguínea da gestante - fundamental para prevenir a pré-eclampsia. Além disso, é fundamental pesquisar se há insuficiência de vitaminas e minerais e fazer a suplementação adequada, se possível antes da gravidez e até após o parto.

Pré-natal: multidisciplinaridade entre médicos 

A ginecologista ressalta a importância de um trabalho multidisciplinar entre os médicos, já que nesse período manchas na pele, estrias, queda de cabelo e aumento de peso são comuns. Além de cuidar da saúde física, o obstetra deve estar atento e ter o máximo de cuidado com saúde emocional da gestante. 

"Exercícios de respiração, relaxamento, musicoterapia e feedback positivo com o bebê promovem sensação de bem-estar materno e fetal. Além de aumentar a conexão da mãe com seu bebê, ajuda muito no controle de possíveis sintomas desagradáveis, diminui a ansiedade e deixa a gestante mais relaxada e preparada para todas as fases”, explica a Dra. Erica.

A ginecologista defende ainda a humanização da assistência à gestante. "Desde a primeira consulta de pré-natal, a gestante e sua família precisam se sentir seguros e amparados com a equipe escolhida. Isso sem dúvida faz a diferença durante toda gravidez, parto e puerpério”, finaliza a especialista. 

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto