Como detectar o período fértil com a temperatura basal

Jessica Krieger

Medir a temperatura todos os dias em repouso ajuda a descobrir o ciclo menstrual e dias de ovulação

Saiba como medir a temperatura basal para detectar os dias férteis. © iStockphoto.com/AndreyCherkasov


A temperatura basal pode ajudar mulheres que desejam engravidar ou aquelas que querem conhecer melhor o ciclo menstrual para evitar uma gestação indesejada. Com ela, é possível saber quais são os dias mais férteis, quando ocorre a ovulação.

É um método de observação diária que auxilia, também, na descoberta do próprio corpo. “Trata-se de um teste usado para a avaliação do risco de engravidar durante o ciclo menstrual. Consiste em verificar a temperatura em repouso, diariamente, antes de qualquer atividade”, explica a ginecologista Anelise Abreu, do Hospital Rios D´Or

Como medir a temperatura basal

A temperatura corporal basal é a mais baixa em um período de 24 horas e, normalmente, acontece durante o sono. Por isso, é recomendado que medição seja feita pela manhã, antes de levantar da cama já que qualquer movimento pode alterá-la. 

Para tirar a temperatura basal, é preciso de um termômetro comum, de preferência para uso individual, e uma agenda ou caderno para fazer as anotações. A mulher deve escrever todos os dias a temperatura medida pela manhã, a partir do primeiro dia de menstruação. – que corresponde ao dia 1 do ciclo. Os dados também podem ser inseridos numa planilha de computador que gera gráficos para melhor visualização. 

“Em geral, as temperaturas variam entre 36º e 37º durante a primeira fase do ciclo, em que ocorre o desenvolvimento do ‘óvulo’, chamada fase folicular. No momento da pós-ovulação, há um aumento dos níveis do hormônio progesterona, aumentando a temperatura basal da mulher”, afirma a ginecologista. 

Interpretando os dados

A ginecologista explica que durante o ciclo, haverá uma discreta elevação da temperatura corporal entre 0,3 e 0,5ºC na fase pós-ovulatória, determinando a chance de engravidar. 

Ou seja, mudanças hormonais no corpo aumentam a temperatura basal dois ou três dias depois de ovular. Ela segue alta até a próxima menstruação, quando volta a cair. Se a temperatura não ficar elevada durante alguns dias, é possível que não tenha ocorrido a ovulação.  Agora, se houver a fecundação, a temperatura ficará mais alta até o final da gestação. 

Como com esse métodoa mulher fica sabendo que ovulou apenas dias depois que o processo já aconteceu, fica difícil engravidar já no primeiro mês. É preciso realmente observar e fazer o registro por alguns meses para saber quais os melhores dias para ter relações sexuais e, assim, ficar grávida.   

Método confiável?

A ginecologista Anelise Abreu acredita que este método não é sensível em muitas mulheres, especialmente aquelas com ciclos irregulares e que muitas vezes não ovulam de maneira adequada. 

“Desta forma, elas vão apresentar uma irregularidade na produção do hormônio progesterona, o que não causará a elevação da temperatura corporal basal de forma regular, tornando o método menos confiável”, analisa. 

O ponto negativo é que a mulher precisa de meses de observação e, nos primeiros, acaba deixando de aproveitar a janela de fertilidade máxima – que conta, também, os dias que antecedem a ovulação.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto