Conheça a sexagem fetal: o exame para descobrir o sexo do bebê antes do tempo 

Ana Paula Cardoso

Aos pais que não aguentam esperar, é a solução para saber o gênero biológico do filho que está a caminho

Sexagem fetal: exame para saber o sexo do bebê precocemente. © iStockphoto.com/Adrian825


 Hoje em dia, só não se sabe se é menino ou menina antes de o bebê nascer quem não quer. Um exame de ultrassonografia simples, a partir da 15ª semana de gestação, normalmente já deixa explícito o gênero biológico do bebê dentro do ventre. Mas aos pais mais ansiosos, a sexagem fetal pode ser a solução.

O diferencial deste exame é que ele pode ser realizado já na 5ª semana de gravidez, momento em que o exame de ultrassom obstétrico mal consegue detectar a presença do embrião dentro do saco gestacional. Não existe uma indicação médica precisa para a realização da sexagem fetal.

"Este exame é realizado por uma coleta simples de sangue materno, sem risco algum, em que é detectado, além do DNA da mãe, o DNA fetal livre. O teste é baseado na detecção do cromossomo Y no sangue materno. Na presença do cromossomo Y, o diagnóstico é masculino. Na sua ausência, o diagnóstico é de um feto feminino", explica o Dr. Daniel Zylberzstejn, da DSZ Medicina Reprodutiva. 

Sexagem fetal não é para escolher sexo

Segundo o Dr. Zylberzstejn, é importante ressaltar que a sexagem fetal é completamente diferente da sexagem embrionária. A sexagem embrionária consegue ser realizada somente nos casos de tratamento por fertilização in vitro, pois consiste na biópsia do embrião e a análise desta célula embrionária para identificação dos cromossomos X e Y, antes de ser transferido para o útero. 

Apenas após o diagnóstico laboratorial (que pode ser realizado no mesmo dia) o embrião é transferido para o útero. Entretanto, ao contrário da sexagem fetal (exame liberado), existe uma regulação ética para a realização da sexagem embrionária

"O Conselho Federal de Medicina, conforme a resolução n 1957/2010, proíbe a aplicação de técnicas de reprodução assistida cuja intenção seja selecionar o sexo (sexagem) ou qualquer característica biológica do futuro filho, exceto quando se trate de evitar doenças ligadas ao sexo do filho que venha a nascer como, por exemplo, hemofilia e a distrofia muscular de Duchenne", esclarece o médico.

Para os futuros pais interessados em realizar a sexagem fetal, o especialista afirma que o teste é 100% preciso. No entanto, raros são os planos de saúde que cobrem o procedimento e os valores encontrados no mercado variam de acordo com os laboratórios. "Pode-se encontrar este exame a partir de R$250 e chegar a mais de R$ 700", completa o Dr. Zylberzstejn.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto