Teste aponta irregularidades em cinco marcas de protetor solar

Jessica Krieger

Produtos faciais da Sundown, L'Oreal, ROC, Sunmax e La Roche Posay avaliados pela Proteste não possuem o mesmo FPS indicados nos respectivos rótulos

Proteção solar é importante para prevenir doenças e o envelhecimento precoce da pele.

 

Você já imaginou comprar um protetor solar facial com FPS 60 e levar para casa muito menos que este valor indicado? Esta foi uma das constatações que a Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) detectou em pesquisa divulgada ontem (27) sobre estes produtos para o rosto. Metade dos itens avaliados não tiveram o desempenho esperado, com proteção inferior a indicada na embalagem.

De acordo com a entidade, das dez marcas levadas ao laboratório para testes sobre a eficácia, cinco apontaram irregularidades. Segundo a Proteste, produtos da Sundown, L'Oreal, ROC, Sunmax e La Roche-Posay não apresentaram o Fator de Proteção Solar (quanto mais alto o FPS, mais caro) que consta dos rótulos. O protetor da La Roche, por exemplo, apresentou 42% a menos do que o informado. 

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) considera aceitável uma variação de no máximo 17% do que é relatado na embalagem. Além disso, desde 2012, a agência obriga que a proteção UVA dos produtos seja de um terço do FPS. O produto testado da marca L´Oreal apresentou apenas 26% do FPS do rótudo, em vez dos 33% exigidos. 

Em resposta ao portal do Estadão, as marcas contestaram os resultados. Já a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) divulgou um comunicado, esclarecendo que: "os resultados mostrados pela Proteste devem ser analisados com muita cautela. A SBD desconhece os métodos utilizados pela Proteste para realizar os testes com filtros solares e desconhece também o laboratório que os realizou. Da mesma forma, esta Sociedade não acusa o recebimento das análises técnicas efetuadas, que serviram como base para os resultados que porventura possam ser publicados".

O documento publicado no veículo online ainda diz que "do ponto de vista de saúde pública, o mais importante é que o usuário de protetores solares faça uso continuado e em quantidade adequada desses produtos, cujo objetivo principal é a prevenção do câncer da pele, que é o tipo de câncer mais comum na população brasileira". 

 

Copyright foto: iStock

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto