Lírio Parisotto é condenado por agredir Luiza Brunet

Fernanda Lima

O empresário deverá ficar dois anos sob vigilância e cumprir serviço comunitário durante 12 meses

Ex-namorado de Luiza Brunet é condenado pela justiça por agressão. © AgNews/CaioDuran


O Tribunal de Justiça de São Paulo sentenciou nesta segunda-feira (05) o empresário Lírio Parissoto a um ano de detenção pela agressão à Luiza Brunet no ano passado. A condenação, pronunciada pela juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcanti, determina ainda que o réu deverá ficar dois anos sob vigilância, sendo obrigado a cumprir serviço comunitário durante 12 meses.

Celso Vilardi, um dos advogados do empresário, afirmou ao portal G1 que pretende recorrer da decisão, pedindo a absolvição de seu cliente. "Das três acusações inverídicas feitas por Luiza Brunet, duas já foram afastadas pelo Poder Judiciário, e a última será objeto de recurso ao tribunal competente que, certamente, fará justiça e absolverá Lírio", declarou o advogado.

Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Luiza Brunet agradeceu o apoio e afirmou ter dado "um passo importante" no processo. Pelo Instagram, ela também se pronunciou sobre o assunto. "Difícil dizer o que sinto. Mas é um dia que me deixa realizada, com o coração pacificado e uma sensação de ter ido no caminho certo. Não foi fácil me expor e conviver com as marcas dessa violência", diz um trecho da postagem.

A modelo de 54 anos revelou a agressão do ex-namorado em julho do ano passado. "Mantive uma união estável com um homem que acreditava que cuidaria de mim. Me enganei. Fui vítima de grave agressão. Tive medo de denunciar, tive vergonha", disse na ocasião, quando chegou a compartilhar uma foto em que aparecia com o rosto machucado.
 

Difícil dizer o que sinto. Mas é um dia que me deixa realizada, com o coração pacificado e uma sensação de ter ido no caminho certo. Não foi fácil me expor e conviver com as marcas dessa violência. Mas há algo maior. Este dia dia não é só meu - que atravessei esse doloroso caminho pessoal até aqui e precisei romper tantos medos. É um momento muito maior pelo que significa para tantas mulheres na mesma condição. Não existe aqui a Luiza. Existem mulheres. Existe a minha imensa felicidade pelo funcionamento da justiça. Dessa incrível Lei Maria da Penha. Não se calem mulheres. Vamos mudar essa situação. Não acaba aqui. Vocês me inspiraram sempre com seu apoio e sua força. E o que tenho a dizer se resume a uma palavra: gratidão. #CoragemPraMudar #NãoSeCale #UnidasSempre #Gratidão

Uma publicação compartilhada por Luiza Brunet . "Figura Publica (@luizabrunet) em

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto