Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow acusam diretor de assédio sexual

Fernanda Lima

Além das atrizes, outras mulheres também denunciaram Harvey Weinstein, que já foi demitido da própria companhia 

Atrizes acusam diretor de abuso sexual. © AP/SIPA


Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie fizeram uma revelação bombástica ao jornal New York Times nesta terça-feira (10). As atrizes contaram que foram vítimas de assédio sexual pelo produtor Harvey Weinstein, já acusado de estupro  por outras três mulheres e demitido da própria companhia.

"Eu tive uma experiência ruim com Harvey Weinstein na minha juventude e, como resultado, escolhi nunca mais trabalhar com ele de novo e avisar outras pessoas que viessem a fazê-lo", disse Angelina. Segundo ela, o caso ocorreu durante o lançamento do filme Corações apaixonados (1998), estrelado pela atriz. "Este comportamento contra mulheres é inaceitável em qualquer campo e em qualquer país".

Gwyneth, por sua vez, fez um relato ainda mais detalhado ao jornal. O executivo a contratou aos 22 anos para fazer o papel principal em Emma (1996). A atriz contou que Weinstein a convidou para seu quarto de hotel no  Peninsula Beverly Hills para uma "reunião de trabalho" que resultou no produtor "passando a mão nela e sugerindo que eles fossem para o quarto para massagens".

"Eu era uma criança, era contratada, e fiquei paralisada", disse Gwyneth. Na época, ela namorava com Brad Pitt, e relatou a situação para ele. Pitt confrontou Weinstein sobre o assédio. Logo depois, Gwyneth recebeu ameaças do figurão e foi avisada de que não deveria relatar o ocorrido para ninguém. Pitt confirmou a denúncia ao NYT. “Eu pensei que ele ia me demitir. Ele gritava comigo por muito tempo. Foi brutal", disse a atriz.

A atriz, agora com 45 anos, deixou ainda um recado para as mulheres. "Agora, estamos em uma época em que as mulheres precisam mandar uma mensagem clara que isso acabou. Essa maneira de tratar as mulheres acaba agora", concluiu.

Por meio de comunicado, Weinstein negou as acusações de estupro. "Todas as acusações de estupro foram negadas pelo Sr. Weinstein, que confirmou nunca ter forçado mulheres a fazer sexo com ele", disse sua porta-voz. "Sr. Weinstein não pode falar sobre acusações anônimas, mas respeita qualquer mulher que tenha feito a denúncia contra ele. Sr. Weinstein acredita que todas as relações sexuais com estas mulheres foram consensuais." 

Após a polêmica, a esposa do produtor anunciou a separação. A designer de moda Georgina Chapman e Harvey Weinstein se casaram em 2007 e têm dois filhos, de 7 e 4 anos. "Meu coração está partido por todas as mulheres que passaram por essa dor enorme por causa das ações imperdoáveis dele", afirmou à revista People. "Escolhi deixar meu marido. Cuidar dos meus filhos é minha prioridade e peço, aos meios de comunicação, privacidade nesse momento", completou.

Leia também:

Anúncio google

Nenhum comentário disponível sobre este assunto